As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Verdades verdadeiramente verdadeiras

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 15h08

Publicado pela 1ª vez em 24/10/2008
– Boa Noite, senhoras e senhores. Eleições 2028. Começa aqui o debate entre os dois candidatos que disputam a prefeitura de Megalomaniacópolis, a maior cidade deste país. De um lado, o candidato do Peraltas, o senhor Bem-Intencionado Todo Certinho, e de outro a candidata do PWYZ, a senhora Meu Passado é Limpo, Limpinho. Este é um momento histórico. É o primeiro confronto de idéias com o uso de um detector de mentiras!
– Durante duas horas, os candidatos farão perguntas um ao outro, com réplica e tréplica. Os candidatos já estão com os fios conectatos aos respectivos corpos. Nossos especialistas vão analisar os sinais emitidos pelo polígrafo a cada resposta e ao final o nosso computador vai reproduzir uma voz lúgubre e sinistra com a sentença: Verdade ou Mentira. Seguindo o sorteio que realizamos previamente, o candidato Bem-Intencionado Todo Certinho fará a primeira pergunta para a candidata Meu Passado é Limpo, Limpinho.
– Candidata Meu Passado é Limpo, Limpinho. Na minha gestão, nós construímos e equipamos 999 postos de saúde, o triplo do que a senhora fez quando teve a oportunidade de ser a prefeita da nossa cidade. Quais são os seus planos para a saúde?
– Candidato Bem-Intencionado Todo Certinho, eu fico abismada com essa sua declaração. Dos 999 postos que o senhor diz ter feito, 666 foram licitados ainda na minha gestão. Seiscentos e sessenta e seis! E não se faça de besta.
– A candidata Meu Passado é Limpo, Limpinho não tem argumentos. Por isso perde a compostura. Pois saiba a senhora que as tais licitações que a sua gestão deixou continham falhas e vícios que comprometeriam o erário público. Nós refizemos essas licitações e conseguimos uma economia de 30%.
– O candidato Bem-Intencionado Todo Certinho adora distorcer os fatos. Ele diz que as licitações foram refeitas, mas não conta que as obras ficaram mais baratas porque ele usou material de baixa qualidade. Basta ver como estão os postos hoje. Este não é o projeto que eu deixei. Os meus prédios não tinham goteiras, infiltrações e rachaduras. Faça-me o favor, candidato!
O mediador entra em cena:
– Polígrafo, o que a candidata Meu Passado é Limpo, Limpinho disse é verdade ou mentira?
Momento de suspense. Um fundo musical de terror é ouvido enquanto os candidatos demonstram um semblante tenso. Finalmente, o computador com a voz lúgubre e sinistra de um locutor se pronuncia:
– Mentiiiiiiiiiiira!
As torcidas se manifestam com aplausos e vaias e o mediador, educadamente, manda todos calarem as bocas de urnas.
– Polígrafo, e o que o candidato Bem-Intencionado Todo Certinho disse, é verdade ou mentira?
– Mentiiiiiiiiiiira!
Um placar eletrônico mostra o resultado parcial: 1 a 1. O debate prossegue:
– Candidato Bem-Intencionado Todo Certinho, a minha gestão acabou com a sujeira na cidade. Nós chamamos as empresas e exigimos o cumprimento integral do contrato. A coleta do lixo ficou uma belezinha, mas aí veio o seu governo e a fiscalização afrouxou. Por que o senhor deixou a cidade suja desse jeito?
– A candidata Meu Passado é Limpo, Limpinho deturpa os fatos mais uma vez. Em primeiro lugar, é preciso respeitar a memória das pessoas. Todos sabem que no seu tempo a cidade era muito mais suja. Além disso, a senhora não diz que fez um aditamento ao contrato e pagou mais caro pela coleta. Nós, pelo contrário, reduzimos os custos e melhoramos o padrão do serviço.
– O meu adversário precisa sair mais do gabinete. É só olhar em volta para ver como a cidade está abandonada. Eu não paguei mais caro. Eu ampliei o serviço, que agora o senhor cortou a pretexto de economizar.
– A candidata insiste em revirar o assunto do lixo. Na minha gestão, economizamos sem abandonar a cidade. Na gestão da minha adversária, o que houve foi uma limpeza nos cofres públicos.
O mediador volta e chama a voz lúgubre e sinistra emanada do computador:
– Polígrafo, por favor, analise as declarações do candidato Bem-Intencionado Todo Certinho:
– Mentiiiiiiiiiiira!
– E as alegações da candidata Meu Passado é Limpo, Limpinho?
– Mentiiiiiiiiiiira!
O debate continua e surgem temas como trânsito, habitação, enchentes, corrupção, transporte, camelôs, educação, sempre com “um” dizendo que fez mais que a “outra”, a “outra” afirmando que fez mais que o “um” e a voz lúgubre e sinistra dando a sentença:
– Mentiiiiiiiiiiiira! Mentiiiiiiiiiiiira! Mentiiiiiiiiiiiira! Mentiiiiiiiiiiiira!
De repente, com o placar em 44 a 44, a máquina entra em parafuso e começa a alternar vozes masculinas e femininas, graves e agudas:
– Mentiiiiiiiiiiiiira! Mentiiiiiiiiiiiira! Mentiiiiiiiiiiiira! Mentiiiiiiiiiiiira!
No final, até a voz do Pelé apareceu:
– Mentiiiiiiiiiiiira, entende?!
Os candidatos percebem que o pior vai acontecer, se desconectam e saem correndo. Longe do perigo, se abraçam:
– Você está bem? Eu estou… e você? Eu também…
Booom!
Acordei assustado com a explosão e demorei a perceber que no pesadelo o mediador era eu. Pelo menos não era minha aquela voz lúgubre e sinistra! Ouvi ao fundo a vozinha infantil, mas estridente do mocinho da casa:
– Mãe, hoje a professora perguntou quem tinha derrubado água no chão e todo mundo ficou quieto.
– Você derrubou e não falou nada?
– Eu não, mãe. Eu não sei quem foi, mas eu falava se fosse eu. Eu não “mento”.
– Você o quê?
– Eu falo a verdade, ué! Eu não “mento”!
Percebi que a mamãe e a irmã do garotinho sincero acharam tanta graça que nem o corrigiram. Voltei a ouvir o locutor de voz lúgubre e sinistra, mas um pouco mais manso:
– Verdaaaaaaaaade!

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: