As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Uma tocha entre nós

Haisem Abaki

29 Julho 2016 | 10h58

Querida Tocha, como vai? Espero que esteja bem, apesar do cansaço de desfilar por aí passando de mão em mão. Admiro o seu ânimo e a sua capacidade de ficar sempre acesa. Imagino que já tenha ouvido os debates acalorados a seu respeito durante as andanças que vem fazendo por este país ensolarado.

Tem gente a favor, que entrou no espírito olímpico que você tão bem representa, de dedicação, superação, união, paz e esperança. E tem gente contra, alegando que primeiro a nação precisa desatar muitos nós e apagar vários incêndios, como a corrupção, a pobreza, o desemprego, a saúde na U.T.I., a educação só no discurso, a insegurança, a inflação, os juros altos, os impostos que saem pelo ladrão, a injustiça, o preconceito, a intolerância…

Sem querer ficar em cima do muro, penso que os dois lados têm as suas razões. Você é realmente uma chama que simboliza tudo de bom. Ao mesmo tempo, ainda ardemos em brasa diante de tantas indignidades coletivas que queimam sonhos a cada dia. Mas não se sinta chamuscada na sua passagem por aqui. Esses problemas já existiam e devem continuar depois que você for embora. É tudo coisa nossa. É fogo, viu?

Acho que aos poucos você vai nos conhecendo. Somos um povo trabalhador, sim. Temos alegria e muito potencial, mas ainda nos falta acender de vez o pavio da cidadania e vigiar constantemente para que nunca se apague. E ainda precisamos avançar mais em muitos dos nobres esportes que você tão bem simboliza.

Enquanto esse dia não chega, vamos nos destacando em outras modalidades. Somos ótimos na natação em propina (até rima com piscina), em assalto à distância, em tiro ao contribuinte, em ginástica política e fisiológica, em roubo sincronizado e nos saltos orçamentais. Nossos atletas são imbatíveis e não precisam de doping porque têm foro privilegiado.

E você, toda incandescente, vem nos proporcionando momentos que eram incomuns antes da sua iluminada presença. Cidades limpas, ruas sem buracos, calçadas bem cuidadas, árvores podadas, nova sinalização viária, pinturas fresquinhas, segurança reforçada e atrações culturais. Viva a Operação Belezura! Que esta seja uma parte do seu legado. Ou será que depois da sua partida tudo voltará a ser largado?

Como ficaremos quando você for embora? Sentiremos saudades. Mas a culpa pela maquiagem não é sua. Não esquenta com isso. Você é brilhante. E vai seguir o seu caminho mundo afora merecendo todas as reverências. Obrigado por tudo e vá em paz. Muita luz na sua vida!

Ah, só um último pedido. Poderia nos fazer um favorzinho antes de partir? Coisinha bem simples, moleza pra você. Vou explicar. É em relação aos nossos poderosos de plantão. Tem uns que são flagrados em falcatruas e sempre dizem que não sabiam de nada. E também aqueles com falta de humildade pra reconhecer os erros e que fazem declarações com piadinhas de mau gosto. Nada que vá tomar muito o seu tempo. Em quatro anos você resolve essa parada e fica livre para a próxima. Só uma queimadinha, bem de leve, na língua deles. Se debocha, leva tocha!