As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tempestades anunciadas

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 18h26

Publicado pela 1ª vez em 29/07/2009
A grande surpresa deste inverno é a chuva. Ela apareceu de repente em gotas, gotinhas e pancadões. Em São Paulo, teve até granizo caindo do céu hoje.
Mas pensando bem, os sinais já eram evidentes. Não se trata de um fenômeno tão imprevisível assim. Já faz tempo que tem gente dando nó em pingo d’água.
A telefonia, por exemplo. Está sempre sujeita a chuvas e trovoadas, mas só pinga no consumidor. Depois de uma enxurrada de reclamações, o governo resolveu fechar o tempo em cima das operadoras que inundam ouvidos alheios com gerúndios e musiquinhas de espera.
Outro indício da mudança climática aconteceu em Brasília. De lá, veio uma frente fria parlamentar, associada a uma massa de denúncias quentes. A combinação gerou fortes tempestades e pontos de alagamentos em reputações ilibadas. Apesar disso, ninguém se molhou e todos devem escapar sequinhos, sequinhos do temporal.
Em São Paulo, chegou um vendaval que deixou muita gente sem ônibus. Raios e relâmpagos foram vistos em protestos de usuários contra a intempérie anunciada com voz de trovão. Mas depois do estrondo já se avista um tempo de mais calmaria.
Ainda bem que depois da tempestade vem a bonança. Já, já, tudo volta ao normal. Vamos ficar horas pendurados na linha. Vamos achar que em Brasília o tempo é assim mesmo. E vamos nos acostumar com os congestionamentos de sempre. Eita, tempo bom! Tem gente que sabe dar nó em pingo d’água mesmo!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: