As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Respeito à casa do povo!

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 18h30

Publicado pela 1ª vez em 04/08/2009
A palavra é uma arma que pode ser usada para o bem ou para o mal. Infelizmente, numa importante instituição deeeeeeeste país, as letras estão sendo desvirtuadas.
Pessoas que deveriam dar o exemplo se perdem e desrespeitam o grande público com palavrões, trocas de insultos e acusações.
Estão sempre se fazendo de vítimas e dizendo que a culpa é do outro. Ficam bradando que sofrem perseguição e acham que tem alguém por trás de tudo, com o objetivo de prejudicá-los.
O povo já está cansado disso e quer menos falação e mais resultado para o bem e a alegria de todos. Chega de ficar na defensiva e de só fazer gol contra! É hora de agir e trabalhar por dias melhores. Só assim a vaia será substituída pelo aplauso.
Há péssimos exemplos por todo canto, mas o último veio de um dos patrimônios mais valiosos da nação, um verdadeiro templo. A casa do povo foi ultrajada!
O autor das infâmias já reconheceu o erro e pediu desculpas, mas ainda pode ser punido. O senhor Leo Moura não pensou duas vezes antes de xingar com palavrões a torcida do Flamengo em pleno Maracanã.
É preciso acabar com isso de uma vez por todas no futebol. Dirigentes, técnicos, jogadores e árbitros devem aprender a ter bons modos. Que sigam as práticas corretas das casas de leis deeeeeeeste país! Mirem-se no exemplo das excelências, que mesmo nas divergências não deixam de ser nobres. Ah, vão tomar… juízo!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.