As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Latido de palavra

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 18h43

Publicado pela 1ª vez em 17/08/2009
No chamado mês do cachorro louco, uma notícia chama a atenção dos amigos do Rex, do Duque, da Susi e da Miúcha. Os japoneses inventaram um aparelho capaz de traduzir latidos.
É uma coleira, que segundo au-au-au-autoridades no assunto tem um microfone que transforma a genuína manifestação canina em seis estados emocionais: alegria, tristeza, frustração, ameaça, necessidade e afirmação.
Os au-au-au-autores do grande invento já criaram duas versões do equipamento: em japonês e inglês. A mordida é de uns duzentos e poucos dólares, mas isso não impede o au-au-au-aumento das encomendas.
Com todo o respeito, acho isso uma tremenda bobagem. Não é necessário ter um tradutor de latidos pra entender o cachorro, que é um bicho au-au-au-autêntico. É só prestar atenção que a gente entende o que ele está falando.
O pobre animal é que precisa de um tradutor bom pra cachorro. Ele não compreende um comportamento típico do suposto melhor amigo do cão, que é falar uma coisa e fazer outra.
Ainda bem que não inventaram esse aparelho. Se entendesse tudo, o cachorro ia ficar com muita raiva. Al-al-al-alguém duvida?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: