As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fundos garantidos

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 20h31

Publicado pela 1ª vez em 14/12/2009
O impostômetro mantido num painel que não para de se mexer no centro de São Paulo atinge hoje a marca de um trilhão de reais, um dia antes da data em que esse valor foi alcançado no ano passado.
Os números galopantes representam tudo o que foi pago em impostos e taxas neeeeeeeeste país, incluindo a União (que sempre faz a força), os Estados (em estado de graça) e os municípios (eternamente chorando com o chapéu na mão).
Mas o que representa exatamente esse montante de um trilhão sobre nós, os montados? A dificuldade começa na hora de colocar os zeros.
Depois de várias tentativas, quem não cola olhando para o painel conclui que a cifra é o número um seguido de 14 zeros. Ainda assim é difícil imaginar a grandeza dessa dinheirama.
Para facilitar, vamos pensar em 50 mil reais guardados numa cueca. Agora ficou mais palpável. Bastaria um pequeno estoque de 20 milhões de cuecas para abrigar toda essa grana. No fundo, no fundo, fica bem mais simples de entender. Para o ano que vem, a previsão é de uma arrecadação ainda mais forrada. É quase um saco sem fundo garantido por quem fica com as calças na mão, ora bolas!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: