As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Contos da carochinha

Haisem Abaki

25 de fevereiro de 2013 | 11h40

Publicado pela 1ª vez em 03/03/2010
O eleitor deeeeeeeeeeeste país terá a oportunidade de ler grandes clássicos da literatura politiqueira no próximo pleito. O site do Tribunal Superior Eleitoral vai exibir as certidões criminais daqueles que estarão interessados em servir a Pátria Amada, Idolatrada, Salve, Salve!
Mas antes você, caro leitor, será obrigado a tomar algumas providências. Primeiro, é importante desmarcar todos os compromissos por pelo menos uma semana. Não haverá tempo para mais nada.
Esqueça os programas humorísticos temporariamente e jamais entre numa roda de contadores de piadas. Até se recuperar do impacto, você não vai achar nada mais engraçado do que as aventuras dos palanqueiros em busca de voto.
Não permita, sob hipótese alguma, que as crianças tenham acesso ao conteúdo das fichas dos candidatos. Elas não vão entender esses contos que só têm lobos maus e rainhas malvadas, sem príncipes encantados e donzelas ingênuas.
E por último, não deixe de fazer dois exercícios físicos importantíssimos: levantar as mãos para o céu se ainda sobrar algum mocinho na história e treinar os pés para chutar traseiros de aproveitadores com histórias cabeludas em abundância.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: