As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coisa de cinema

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 16h20

Publicado pela 1ª vez em 13/03/2009
Os fãs do cinema brucutu estão inconsoláveis com a notícia. O musculoso governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, disse “Hasta la vista, baby” para os produtores do filme “O Exterminador do Futuro 4”. O andróide que viajava no tempo para caçar os inimigos não aceitou fazer uma ponta na nova história e disse estar satisfeito com a profissão de “governador”. Ele está armado de razão até os dentes. O papel de exterminador não combina com o de político mesmo. Político é um sujeito de passado, presente e futuro limpinhos, sem manchas. Político não pode ficar por aí atazanando a vida dos adversários porque, afinal de contas, os dois lados estão interessados apenas no bem-estar das pessoas. Político também não é de ficar gastando tempo e dinheiro em viagens porque precisa se ocupar de missões mais importantes, como exterminar a fome, a miséria e os problemas na educação e na saúde. Enfim, político não quer ser herói e nem vive de efeitos especiais. Esses cineastas que procurem outro exterminador para o filme que virou franquia. Eles que não venham mais com propostas indecorosas. O que? A passagem para o passado é só de ida? Pensando bem, temos ótimos atores aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: