As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cantigas de roubar

Haisem Abaki

26 Maio 2017 | 13h58

Encaixa deputado

Dinheiro de papel

Quem não encaixar direito

Vai preso pro quartel

O quartel pegou fogo

A polícia deu sinal

Acode, acode, acode a carteira nacional

 

O deputado brigou com a empreiteira

Debaixo de uma dinheirada

O deputado saiu detido

E a empreiteira delatada

O deputado ficou leniente

A empreiteira foi denunciar

O deputado teve um desmaio

E a empreiteira pôs-se a entregar

 

Um, dois

Delação depois

Três, quatro

Delação a jato

Cinco, seis

Delatar de uma vez

Sete, oito

Delatou afoito

Nove, dez

Correr do xadrez

 

Delação, delaçãozinha

Vamos todos delatar

Vamos dar a mala de volta

Volta da mala vamos dar

O gravador que tu me destes

Era vidro e se quebrou

O mensalão que tu me tinhas

Era pouco e se acabou

 

Free boy, boy, boy

Free boy da grana preta

Paga esta fiança que tem um perdão porreta

 

Cai, cai, ladrão, cai, cai, ladrão

Aqui na minha jurisdição

Não cai, não, não cai, não, não cai, não

Cai na rua do Supremão

Cai, cai, ladrão, cai, cai, ladrão

Aqui na minha jurisdição

Não vou lá, não vou lá, não vou lá

Tenho medo de delatar

 

Atirei o pau no corrupto, tô, tô

Mas o corrupto, tô, tô

Não virou réu, réu, réu

Dona Justiça, ça

Admirou-se, se

Do berro, do berro que o corrupto deu:

Lalau!