As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolo de jornalismo

Haisem Abaki

02 de outubro de 2015 | 13h55

Começo hoje com um texto que não é de minha autoria. É do site www.tudogostoso.com.br. Eu nem teria competência para isso. Só consegui reproduzir por obra e graça de São Google, o santo protetor dos que não sabem como se faz (como eu). Ah, sim, tem um dedo meu aí. Na verdade dois, com toda a minha habilidade e um rigoroso treinamento em Control C, Control V. Volto em instantes.

 

BOLO DE CHOCOLATE

 

INGREDIENTES

 

Massa:

  • 4 ovos
  • 4 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 2 xícaras de açúcar
  • 2 colheres de chá de fermento
  • 1 xícara de leite

Calda:

  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 7 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 2 latas de creme de leite com soro
  • 3 colheres de sopa de açúcar

 

MODO DE PREPARO

Massa:

  1. Bata todos os ingredientes por 5 minutos (menos o fermento)
  2. Adicione o fermento e misture com uma espátula delicadamente
  3. Coloque em uma forma untada e asse por 40 minutos

Calda:

  1. Aqueça a manteiga e misture o chocolate em pó até que esteja homogêneo
  2. Acrescente o creme de leite e misture bem
  3. Desligue o fogo e acrescente o açúcar

 

Voltei! Agora sou eu a escrevinhar. Pensei nisso depois de receber uma ligação de uma estudante de jornalismo. Entre várias questões sobre a profissão e algumas pessoais, ela quis saber “a receita” para se fazer “um bom jornalismo no rádio”. De cara, vi que a garota levava jeito para a coisa. Jornalista gosta de fazer perguntas difíceis.

Moleza a resposta! Ingredientes de qualidade, bem selecionados e na medida certa, utensílios adequados e dedicação durante o preparo.

Mas leva tempo e exige paciência. Se tirar do forno antes da hora fica cru. Se passar do ponto, tá queimado. E, talvez o mais importante: saber que sempre haverá louça pra lavar.

O ponto em comum entre o jornalismo e o bolo vai muito além da cobertura. É que não basta a receita ser bonitinha. É preciso colocar a mão na massa. Espero não ter confundido a moça. E nos dois casos acho que o que mais sei fazer é me lambuzar.