As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aos fanáticos por A e D (ou D e A)

Haisem Abaki

11 de outubro de 2014 | 13h31

Passei os últimos dias vendo amigos se estapeando virtualmente pelas redes sociais e imaginando o que fariam se tivessem um encontro face a face, sem o book como escudo de proteção. Sim, porque do jeito que está cada um dá o seu berro e pronto. Até o Doutor Enéééééas, se ainda estivesse entre nós, ficaria incomodado com tanta gritaria eleitoral gratuita.
A lógica, os argumentos, o bom senso e até o raciocínio foram assassinados, esquartejados e expostos como troféus. O que vale é a paixão que cega e ensurdece. Pena que não emudece o exagero.
Vale tanto ódio por causa de A ou D? Agora vou formular a pergunta de outro jeito para que os mais exaltados não digam que falei do A primeiro… Vale tanto ódio por causa de D ou A? A ordem dos fatores não altera o esgoto que corre livre e solto, sem duto.
O cheiro de ideias podres está tão forte que gera confusão mental e afeta a capacidade de discernimento. Mal as urnas do primeiro turno se fecharam e um ouvinte já me “cumprimentava” com um “você deve estar feliz por ter ajudado o Aécio”. Momentos depois, reagindo a um comentário que fiz no ar e que já nem sei mais qual foi, outro me diz que “é por causa de petistas como você que o país está nesta m…”. Ah, então considerando a margem de erro talvez eu esteja entre Marina e Levy!
Sempre dou um desconto aos ouvintes, que muitas vezes acompanham a programação de forma fragmentada. O duro mesmo é quando você vê um colega de profissão viajando na maionese eleitoral. Os 28 anos de cobertura política me ensinaram a não carregar a bandeira de ninguém e a desconfiar sempre, principalmente depois de ver que os caras que tinham a minha aprovação (só na urna e não no microfone) se juntaram a sujeitos sem bons predicados e nos quais nunca votei.
E agora a eleição se transforma em reprise cinematográfica de terror porque os candidatos e seus fiéis seguidores só falam de 1994, 1998, 2002… Já vi esse filme e o nome é “Eu sei o que vocês fizeram no governo passado”. Gostaria de saber de A ou D se há algum lançamento com final feliz previsto para o período 2015/2018. Ah, sim, refazendo a frase… Gostaria de saber de D ou A se há algum lançamento com final feliz previsto para o período 2015/2018.
Por isso, em assembleia soberana, realizada apenas com a minha presença, foi decidido por unanimidade que ficarei em greve eleitoral nas redes sociais. O motivo é o saco cheio diante de tanto fanatismo dos dois lados, cada um com suas verdades absolutas. Talvez os radicais digam que sou um fura-greve por causa deste texto. Aos amigos, deixo apenas um pedido: por favor, não se matem. A e D não merecem tanto de vocês. Ou, se preferirem, D e A não merecem tanto de vocês. Fiquem vivos porque o país continua depois do vale-tudo. Ah, só mais uma coisinha… Dá pra falar mais baixo? Obrigado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.