As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Adeus, ano despido!

Haisem Abaki

24 de fevereiro de 2013 | 20h45

Publicado pela 1ª vez em 30/12/2009
Dois mil e nove teve muitos assuntos que deram pano pra manga. Alguns dirão que foi muito bom e outros, muito ruim. Isso depende das costuras que cada um fez e das agulhadas que levou ao longo do ano.
A política usou roupas escandalosas. Homens de terno e gravata e senhoras de tailleurs promoveram farras de passagens aéreas, atos mais secretos do que peça íntima e nepotismo bem forrado. Isso sem contar o dinheiro na bolsa, na cueca e na meia e a turma dos panos quentes, que sempre aparece nessas horas.
A economia começou a sair dos farrapos, deu um tapa com luva de pelica na crise e voltou a encher os bolsos, apesar de ainda haver muita gente com as calças na mão.
Na maior potência do mundo, um sujeito simpático e bem-vestido assumiu o poder e já ganhou o Nobel da Paz, mesmo enfiando mais 30 mil jovens em uniformes militares. Nós, brasileiros, continuamos solidários e até emprestamos uma embaixada para um bigodudo de chapelão.
Passamos por rasgos e remendos, como um apagão, um monte de enchentes e a camisa-de-força das mudanças climáticas, que podem aquecer o planeta e nos fazer retornar aos tempos cavernosos da tanguinha.
Tivemos também grandes perdas e as tragédias nuas e cruas de sempre. Uma gripe mortal trouxe lenços e máscaras e nos ensinou que lavar as mãos é preciso. É uma questão de bons modos, assim como não incomodar os outros com a fumaça, ainda que para isso tenham surgido leis que viraram moda. Até sobrou ar para os pulmões se encherem contra um minúsculo vestido, coitado!
Ao relembrar tudo isso na retrospectiva do ano, é hora de separar a melhor roupa para 2010. Tomara que o Ano-Novo tenha vestimentas de trabalho, trajes de gala com dinheiro honesto no bolso, muita bermuda e chinelão e, claro, momentos pelados pra relaxar.
Será também um ano de Copa e eleição, muito bom para se vestir de torcedor e eleitor consciente. Camisas verdes e amarelas para apoiar os dribles em campo! E muita cuecada, calcinhada, meiada e sutiãzada no voto contra os que jogam sujo! Feliz roupa nova, com boas lavadas de vez em quando!
…………
Esta é a crônica que abriu a Retrospectiva 2009 da Rádio Bandeirantes. Agradeço a todos que passaram por aqui neste ano e desejo um Feliz 2010.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: