Nhô Totico foi o primeiro a levar humor para o Rádio

Geraldo Nunes

29 Outubro 2013 | 04h09

 A aventura de se fazer humor pelo rádio começou na década de 1930 com o humorista Vital Fernandes da Silva que utilizava o pseudônimo Nhô Totico e alcançou enorme sucesso com o programa Escola da Dona Olinda, que foi ao ar inicialmente pela Rádio Cultura, pertencente à família Fontoura. Essa informação faz parte de um depoimento deixado pelo artista em um especial da BBC cujo título é “O Rádio no Brasil” que está sendo levado ao ar semanalmente no programa Estadão Acervo apresentado, na capital paulista, em FM 92,9 e AM 700, além de uma rede de emissoras.

 Na produção redigida por Valvênio Martins e narrada por Jader de Oliveira, o humorista conta que ele era a referência da emissora. “Ninguém se lembrava do nome da rádio onde eu trabalhava, mas quando se dizia, ‘a emissora do Nhô Totico’, todos sorriam confirmando audiência”. Sozinho ele imitava várias vozes formando os personagens daquela escolinha que foi ao ar também por outras rádios até 1962. Dona Deolinda era uma professora que procurava passar bons modos aos alunos, entre os quais Minguinho, flor de estufa, o filho do doutor; Mingote, o nordestino; Mingau, o italiano; Seu Jorge, o preto velho; Sebastião, o caipira; Soko, o japonês; e Manuel, o português”.

 Nascido em Descalvado – SP, em 11 de maio de 1903, Vital Fernandes da Silva, faleceu em 1996, aos 93 anos. Seus programas eram ao vivo, no auditório das rádios.  Ele gesticulava e se movimentava no palco de acordo com o personagem e chegava a atirar-se ao chão, se preciso fosse. Em 2010, o jornalista Paulo Renato Fernandes, sobrinho neto desse artista lançou “Nhô Totico – O Rei do Riso” pela Reverbo Editora resgatando a trajetória desse profissional que hoje quase ninguém mais se lembra, mas que merece ser pesquisado, especialmente por estudantes de jornalismo,

 Até o início da década de 1960, os programas de Rádio não eram gravados e a maior parte das estórias de Nhô Totico se perdeu. Por isso o depoimento desse artista deixado à BBC é de suma importância para a memória brasileira.  A série “O Rádio no Brasil”, foi apresentada pela primeira vez em 1988 no canal de ondas curtas em língua portuguesa que a emissora mantinha para o Brasil. Devido ao sucesso, a série acabou sendo editada em long-play e distribuída a entidades educacionais e emissoras coirmãs. Dez anos depois, uma nova edição foi feita, dessa vez em compact-disc, sendo esse documento sonoro que estamos reapresentando todos os sábados e domingos entre 6 e 7 horas da manhã e entre 20h30 e 21h30 pela Rádio Estadão.