Constellation: Um passeio aéreo e musical pelas ondas do Rádio

Geraldo Nunes

11 de agosto de 2015 | 05h52

No programa Estadão Acervo fizemos uma viagem maravilhosa nos universos da música e da aviação. Antes de convidá-lo para viajar nos sons da Rádio, peço a você que leia esse nosso texto que fala de nostalgia.

O hino da cidade do Rio de Janeiro é chamado “Cidade Maravilhosa”, uma marcha composta por André Filho e arranjada por Silva Sobreira para o Carnaval de 1935. Esse adjetivo para a cidade foi dado pelo escritor maranhense Coelho Neto em razão das belezas naturais desse lugar que parece ter sido escolhido por Deus para ser o mais belo entre todos. Na década de 1960, a marchinha de André Filho foi “oficializada” como hino. Se o Rio é bonito de se ver hoje, imagine em 1955. Mas por que 1955?

É que no dia 2 de agosto daquele ano, ou seja, 60 anos atrás, o mundo se tornava menor para os cariocas. Naquela data a Varig, maior companhia aérea brasileira, inaugurava uma nova rota entre Rio e Nova York utilizando sua nova aquisição, o avião Super Constellation G, a aeronave mais moderna entre todas já construídas até então. Antes do Constellation, uma viagem entre o continente sul americano e os Estados Unidos consumia 72 horas e diversas escalas. Com a nova aeronave o tempo de viagem caia para 20 horas com escalas em Belém, Trinidad – Tobago, República Dominicana para finalizar na “Big Apple”.

Essa parte da história da aviação comercial virou tema de um espetáculo musical de teatro em cartaz em São Paulo cujo nome é Constellation – Uma viagem musical aos anos 50. Escrita por Cláudio Magnavita, a peça é ambientada no bairro de Copacabana, em 1955.

Era uma fase em que o Rio, ainda capital da República, permanecia sendo uma cidade encantadora de belezas naturais que maravilhava os olhos de celebridades internacionais. O ator Jarbas Home de Mello – diretor do espetáculo -informa que o enredo retrata uma viagem de avião de uma garota de 20 anos que ganha um concurso da Rádio Nacional para o voo inaugural do Super Constellation G. O cenário remonta a imaginação para o bairro de Copacabana onde essa moça reside com a mãe e uma tia e tem um noivo tenente da Marinha. “O conflito da história está no fato dessa moça fazer uma viagem para Nova York e abrir seus olhos para o mundo, em plenos anos 50, ou optar apenas por um futuro marido”, explica o diretor, enfatizando que canções de sucesso naqueles anos dourados foram integradas à peça e interpretadas pelos próprios atores de acordo com a situação e os acontecimentos.

O avião fabricado pela Loockheed, o Super Constellation G, deu início às viagens de luxo da Varig. “Os avanços técnicos que possibilitaram encurtar a duração de uma viagem entre o Rio e Nova York foram os quatro motores de 18 cilindros cada um e injeção mecânica de combustível, além de uma potência de 3.400 cavalos, a maior obtida em motores a pistão” conta o comandante Antonio Carlos Volpin, um antigo piloto da Varig, ressaltando que o Constellation era uma aeronave com muitos requintes a bordo como espaçosas mesas que permitiam jogar cartas durante a viagem. Foi também o primeiro avião com largas poltronas reclináveis na “first class” e em alguns casos até com cabines privativas por encomenda, lembra o comandante Volpin, acrescentando que um cozinheiro especialmente contratado preparava os pratos em terra para serem servidos aos passageiros durante o voo com aquecimento em forno elétrico. Em preços atuais uma passagem Rio – Nova York no Constellation custaria em torno de R$ 9 mil.

Hoje uma viagem de avião nesse mesmo trajeto leva apenas 8 horas. Durante a peça Constellation – Uma viagem musical aos anos 50, a personagem principal, Regina Lúcia, que decide pela viagem, embarca ao lado de Jorginho Guinle, famoso socialite e playboy daquela época.

Repertório:
Heaven on Earth (Buck Ram)
He’s Mine (Buck Ram)
My Prayer (G. Boulanger)
Blueberry Hill (Lewis / Stock / Rose)
Blue Moon (Richard Rodgers / Lorenz Hart)
When I Fall In Love (V. Young / E. Heyman)
Jambalaya (On The Bayou)
The Great Pretender (Buck Ram)
Donna (Ritchie Vallens)
Surfin’ USA (Chuck Berry / Brian Wilson)
Only You (A. Rand / Buck Ram)
Unchained Melody (A. North / H. Zareth)
Stand By Me (B. King / J. Leiber / M. Stoller)
Smoke Gets In Your Eyes ( J. Kern / O. Harbach)
Unforgettable (I. Gordon) Happy Day

Todos os direitos reservados por Blah Cultural 2014. Este texto está protegido contra cópias. Se deseja obter nossa matéria, entre em contato com nossa redação através do email: redacao@blahcultural.com ou contato@blahcultural.com.

Serviço:
Constellation – Uma viagem musical aos anos 50, está em cartaz em São Paulo no Teatro Espaço Promon
De Quinta e Sexta 21h | Sábado 19h | Domingo 19h30
Até o dia 27 de Setembro de 2015
O teatro fica na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 1830 – Vila Olímpia – São Paulo – SP

Agora sim, Ouça o Estadão Acervo copiando e colando esse link: http://radio.estadao.com.br/busca/Acervo

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: