A música e os concursos de miss Brasil e Universo

Geraldo Nunes

14 de outubro de 2013 | 08h23

Em 9 de novembro acontece o concurso Miss Universo na Rússia e  mesmo o evento sendo considerado ultrapassado, pela maioria, ainda assim dá para se destacar histórias interessantes que servem para mostrar como era a imprensa sensacionalista do passado.

Uma noite dessas aconteceu em Belo Horizonte o concurso que elegeu a Miss Brasil, 2013. Enquanto a candidata de Mato Grosso, Jaqueline de Oliveira de 20 anos, era eleita a mais bela brasileira para representar o país no Miss Universo, do lado de fora acontecia uma manifestação de mulheres contrárias ao evento em protesto contra a exploração do corpo feminino.

Opiniões à parte, o concurso resiste e tem histórias até engraçadas como aquela da brasileira Marta Rocha que perdeu por ter duas polegadas a mais de traseiro que a concorrente. O atual concurso Miss Universo foi criado na Califórnia em 1952 pela empresa de vestuário Pacific Mills e comprado em 1996 pelo empresário Donald Trump. A competição, no entanto, é mais antiga, pois já havia o Desfile Internacional de Beleza, iniciado em 1926 para promover o surgimento do maiô feminino, pois antes os trajes de banho, mais parecidos a pijamas, escondiam demais o corpo, especialmente o das mulheres. Esse concurso chegou a eleger uma brasileira, Yolanda Pereira conquistou o título, em 1930, na versão patrocinada pela empresa de confecção de maiôs Catalina. Mas por questões econômicas e até políticas o concurso original deixou de acontecer, sendo retomado da maneira como acontece hoje, a partir de 1952.  Até 1971, todas as edições do Miss Universo aconteceram nos Estados Unidos, sempre na Califórnia ou na Flórida. Depois passou a acontecer em cidades da Ásia, Europa, Oceania, África, Caribe e América do Sul. No Brasil, a cantora Ellen de Lima chegou a gravar a Canção das misses. http://www.youtube.com/watch?v=VnYtgRFeV-w

 A primeira brasileira a participar de um concurso Miss Universo,  foi justamente Marta Rocha em 1954, a que perdeu por conta de duas polegadas a mais no quadril. O fato gerou uma verdadeira comoção nacional. A bela morena de 21 anos, que havia sido eleita Miss Bahia e depois Miss Brasil por unanimidade, causava alvoroço por onde passava.  Um conterrâneo de Marta Rocha, o compositor Dorival Caymmi chegou a dizer não ter dúvidas que, “o verde dos olhos de Martha é mais belo que o mar de Itapuã”.

O fiel Tom Jobim lamentou estar casado à época afirmando que, “gostaria de ter composto uma música para ela”. A comoção nacional foi tamanha que acabou saindo uma marchinha de carnaval na voz da própria Marta Rocha, interpretando de Alcyr Pires Vermelho, Pedro Caetano e Carlos Renato, “Duas Polegadas”, para o carnaval de 1955. 

http://www.youtube.com/watch?v=Mr2MD4uxRL8

 As razões da derrota da brasileira para a americana Mirian Stevenson foram contadas pelo jornalista João Martins, da revista O Cruzeiro.  Ele disse ter ouvido de um jurado a informação de que as tais duas polegadas, equivalentes a cinco centímetros, foram decisivas para a escolha. A verdade, porém, é que, como membro da criativa imprensa da época, Martins combinou a história com outros colegas para tornar a derrota mais polêmica.  Nem mesmo Marta Rocha, hoje vivendo como pintora, confirma a veracidade dessa história que teria sido uma decisão dos jurados.

 Mas o Brasil não passaria em branco e a primeira brasileira a ganhar o Miss Universo, foi a gaúcha Ieda Maria Vargas, eleita a mulher mais bonita do planeta em 20 de julho de 1963. O concurso aconteceu em Miami com 50 países concorrendo. Segundo o site especializado Global Beauties, havia rumores de que dois jurados americanos queriam que uma loira vencesse o certame e tentaram convencer os demais.

 Quando as 15 semifinalistas foram anunciadas, um dia antes da final, o corpo de jurados conversou entre si e se decidiu votar na Miss Dinamarca.  No entanto, na noite decisiva, Peter Sellers foi cativado pelo sorriso da Miss Brasil e fez uma mudança de última hora em sua escolha e por um voto de diferença, a gaúcha Ieda venceu o Miss Universo pela primeira vez para o Brasil, há 50 anos.  De volta ao Brasil, Ieda foi recepcionada por milhões de pessoas nas ruas de Brasília, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

 Naquela época, os concursos de beleza eram uma paixão tão grande quanto o futebol na América do Sul. Dizem que na Venezuela ainda é assim a cada ano aquele país para na hora do concurso. No Brasil, em 1963, a vitória de Ieda foi celebrada ao extremo, mais ou menos como se o Brasil tivesse vencido a Copa do Mundo, como de fato venceu, um ano antes, no Chile.

 Em 1968 Ieda se casa com José Carlos Athanásio, passando a ser a sra. Ieda Maria Vargas Athanásio, com quem teve dois filhos: Rafael e Fernanda e dois netos: Enzo e Carmela. No  dia 20 de julho de 2013,  Ieda Maria Vargas Athanásio, o Rio Grande do Sul e o Brasil  comemoraram os 50 anos da conquista do tão cobiçado título de beleza internacional.

Mas em 13 de julho de 1968, uma outra brasileira conquistava o título de mulher mais bonita do mundo. A baiana Martha Vasconcellos se tornou Miss Universo, disputando o título com outras 64 candidatas de todo o mundo.  Além da beleza para conquistar o prêmio, Martha precisou contrariar seu pai, que não queria ver a filha desfilando de maiô nas passarelas. O esforço valeu a pena e ela levou a melhor na final sobre as candidatas da Finlândia, Estados Unidos, Venezuela e Curaçao.

Durante seu reinado, a baiana fez várias viagens, entre as quais uma visita a Nasa e também conheceu o Papa Paulo VI.  No ano seguinte, ao término de seu reinado de miss, Marta voltou ao Brasil e se casou com um namorado de infância.  Ela teve dois filhos, se formou na universidade e se separou 20 anos depois. Em 2000, decidiu viver nos Estados Unidos, onde fez mestrado na área de educação e se casou novamente com um norte-americano.
A atual Miss Brasil, Jakelyne Oliveira, é de Rondonópolis, Mato Grosso. Dona de uma beleza genuinamente brasileira, Jakelyne nunca perdeu um concurso. Foram quatro em dois anos: Miss Brasil Globo 2012, Miss Globo Internacional 2012, Miss Rondonópolis 2013 e Miss Mato Grosso 2013.  No dia 9 de novembro ela defenderá o Brasil no Miss Universo que este ano acontece em Moscou na Rússia. Como já questionou Rita Lee, certa vez em sua canção Miss Brasil 2000 : “Será que ela vai continuar uma tradição, ou irá modificar uma geração”?

http://www.youtube.com/watch?v=eP6nL1gikAI

Lá vem ela, a Miss Universo 2013.