Um Bruno Giorgi a R$ 15 mil

Vitor Hugo Brandalise

10 de agosto de 2011 | 18h03

Por Paulo Saldaña

As portas da mansão número 653 da Rua Campo Verde, em Pinheiros (póximo ao Shopping Iguatemi), estão abertas até o dia 21 deste mês. É o esquema Família Vende Tudo. A casa pertenceu por 34 anos a um colecionador, morto no ano passado. Os filhos querem alugar o imóvel e decidiram se desfazer dos artigos – que não são poucos.

Para coleções, há cédulas e moedas antigas, além livros e discos raros. “Estamos com muita prataria e móvéis de época. Era uma casa de muito bom gosto”, garante o organizador da liquidação, Victor Hugo – que é também Marchand e comerciante de obras de arte. Na coleção de quadros, nomes como Caribé e Di Cavalcanti são os destaques.

Victor Hugo, com uma forte experiência em leilões de arte, tem feito o que já virou um costume na elite paulistana: usa seu know how para organizar eventos de Família Vende Tudo. Apesar de não ser sua especialidade, já organizou cinco este ano. Ele garante que tudo que está à venda agora pertencia à casa.

Os preços na espécie de bazar, explica ele, estão imperdíveis. “Temos uma escultura do Bruno Giorgi que no mercado gira em torno R$ 30 mil. Aqui podemos vende-la a R$ 15 mil”.

E vale pechinchar.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.