Santo negócio

Vitor Hugo Brandalise

31 de agosto de 2011 | 22h40

Foto: Clayton de Souza

Por Cida Alves

A rua mais abençoada do Centro é a Senador Feijó, onde padres de igrejas da Penha, Itaquera, Mogi das Cruzes e São Caetano vão comprar seus paramentos nas várias lojas de artigos religiosos da região. 

Num levantamento feito com base nas mercadorias da loja Catedral, no número 46, o Expedição Metrópole descobriu que para “equipar” um padre para uma missa é preciso desembolsar quase R$ 3.000 com túnica, casula, cálice e vinho, por exemplo. Mas tem uma explicação. “São artigos de boa qualidade, banhados a ouro, alguns importados da Itália. Além de serem coisas que duram muito e não se compram toda hora”, conta a vendedora.

Uma casula, aquela túnica de cor que os padres usam por cima da túnica branca, pode custar até R$ 950,00. Outra opção é a estola de R$ 180,00. Um cálice italiano para Eucaristia custa R$ 1.260. Para encher o cálice não pode ser qualquer vinho. Em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, é produzido um dos vinhos canônicos vendidos na loja, que variam entre R$ 19,00 e R$ 25,00 a garrafa.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.