Dez coisas que o motorista paulistano faz na hora do rush

Estadão

01 de agosto de 2011 | 19h47

Primeira segunda-feira de agosto, trânsito de volta às aulas. A Expedição Metrópole ficou em uma movimentada esquina da Avenida Brigadeiro Faria Lima na hora do rush para flagrar o comportamento do motorista paulistano. O que você faz quando seu carro fica parado por intermináveis minutos? Dez técnicas para driblar o tédio em um engarrafamento:

1. Mandar e receber mensagens (torpedos ou e-mails) pelo celular. Muitos (muitos mesmo!) fazem isto.

2. Lixar as unhas. Vimos uma elegante senhora entretida com esta atividade.

3. Tagarelar ao celular. Flagramos três pessoas.

4. Ler. Sim, acredite, um rapaz meio bicho-grilo não teve dúvidas: já que tudo estava parado, pegou um livro do porta-luvas e embalou na leitura por uns três minutos — até ser interrompido por uma forte buzinada do carro que vinha atrás.

5. Retocar a maquiagem. Uma moça abaixou o espelhinho do quebra-sol, sacou batom e sei-lá-mais-o-quê da bolsa, e aproveitou o tempinho para dar um trato na aparência.

6. Orar, irmãos e irmãs. Rádio gospel sintonizada em alto volume, e o sujeito se concentrou em uma poderosa reza. Talvez pedindo para aliviar o trânsito, talvez pedindo um helicóptero para si.

7. Fumar. Para alguns, tédio se combate com umas boas tragadas. Com direito a vidro aberto e cotovelo apoiado na janela.

8. Tirar um sonzinho. O batuque no volante ainda será uma modalidade musical apreciada pelos críticos. Pelo menos na cabeça do sambista que nossa reportagem encontrou, animadíssimo em plena noite de segunda-feira.

9. Bocejar. Alguns só não dormem porque o barulho do trânsito é muito incômodo. Flagramos três pessoas bocejando.

10. Buzinar. Não, não adianta nada. Só piora o estresse. Mas vai tentar explicar…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.