David Douek e a 1ª estação sustentável do mundo

Estadão

20 Dezembro 2010 | 12h45

douek1.jpg

Por Vitor Hugo Brandalise
* Foto de Epitácio Pessoa/Agência Estado

Mesmo com nuvens no céu, o dia está bastante claro. São 13 horas, há luz suficiente para fazer apertar os olhos. Por que, então, todas as 18 luminárias da Estação USP Leste da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estão assim, totalmente acesas? Nada poderia irritar mais o arquiteto paulistano David Douek, de 37 anos. Desde a década de 1990, ele luta para evitar desperdício. E agora passou a ajudar, também, os prédios públicos a fazerem o mesmo.

Douek é o arquiteto responsável por transformar a USP Leste, apontada como modelo pela CPTM, na primeira estação de trens sustentável do mundo. Desde fevereiro, é ele o projetista que vem adaptando a unidade, em Ermelino Matarazzo, na zona leste, para conseguir o inédito certificado de sustentabilidade – registro nunca antes alcançado por edifícios do tipo.

Caminhando pelo hall da estação, Douek olha para cima. Parece indignado. “Simplesmente, não há necessidade”, disse, apontando as lâmpadas acesas, ofuscadas pela claridade do dia. “E é fácil resolver. Bastaria prever iluminação que se ajusta automaticamente à luz. Mas agora vamos resolver isso.”

Leia aqui o perfil completo do arquiteto David Douek, publicado na seção Paulistânia, no caderno Metrópole, em 19.12.2010.