Vergonha suja

Estadão

25 Março 2009 | 12h16

Há oito dias, a cidade de São Paulo parou por causa da enorme enchente provocada pelo Rio Tamanduateí. E ao longo da Avenida do Estado, na capital, a sujeira trazida pelas águas continua acumulada na sarjeta. Paus, pedras e muita lama, que agora secou e se transformou em montes de poeira semi-sólida. Tem lugar que essa lama tem mais de 20 centímetros de altura. O rio então, coitado, uma vergonha. Há estruturas metálicas que cortam o Tamanduateí de um lado para o outro, e nesses pontos muito lixo continua pendurado, numa alegoria fantasmagórica que exemplifica o cuidado que as “otoridades” têm com o bem público. Isso tudo combinado com o mau cheiro exalado pelo rio infestado de esgoto é uma beleza.