PM acusado de matar jovem em favela é absolvido pela Justiça

Estadão

25 de outubro de 2010 | 12h14

O 5º Tribunal do Júri de São Paulo absolveu o policial militar José Álvaro Pereira da Silva, acusado de matar Maria Cícera Santos Portela, de 24 anos. O crime aconteceu no dia 20 de fevereiro de 2007, durante a passagem de um bloco carnavalesco pela Avenida São Remo, no bairro do Rio Pequeno, Jaguaré, zona oeste da capital paulista. 

Na ocasião, uma quarta-feira de cinzas, a polícia invadiu a favela local após uma viatura ser atingida por ovos e pedras, que teriam sido jogados por crianças. Para conter o tumulto, José Álvaro efetuou disparos. Um tiro atingiu a cabeça de Maria Cícera, que estava na varanda de sua casa, de férias. 

O comando da PM na região, o 16º Batalhão, havia informado no dia do fato que o PM atirou para o alto para dispersar a multidão e se defender.

A votação foi apertada no TJ, quatro a três. De acordo com a sentença assinada pelo juiz Emanuel Brandão Filho, “o Conselho de Sentença reconheceu a materialidade do delito, mas negou a autoria do réu”, o que resultou na absolvição do PM. De acordo com a acusação, não houve confronto balístico. Ou seja, não foi realizado o exame do projétil que matou a jovem. Isso permitiria saber se a bala que atingiu a jovem foi ou não disparada pela arma do policial.

Tudo o que sabemos sobre:

homicídio favelaPMTJ

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.