Lula faz visita surpresa ao prefeito de São Bernardo

Estadão

15 Fevereiro 2011 | 17h45

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva voltou à política regional. Nesta manhã (15/2) fez uma visita de cortesia ao prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT). Na saída, Lula prometeu voltar a falar de política somente depois do Carnaval. “Já estou há 40 dias em São Bernardo. Então eu disse: deixa fazer uma visita ao companheiro Marinho porque já está na hora. A partir do dia 8 de março, após o Carnaval, vou voltar a ter uma vida mais intensa na política e aí a gente conversa melhor”, disse.

Foi um encontro rápido, no gabinete de Marinho, que durou cerca de uma hora. “A gente tinha combinado antes. Ele disse que vinha tomar um café. Foi rápido porque ele está sem tempo”, falou Marinho, que apresentou vários projetos que sua administração está preparando.

Um dos principais, segundo Marinho, é a construção do metrô leve entre a Estação Tamanduateí do Metrô, no bairro do Ipiranga, na capital, até o bairro Alvarenga, em São Bernardo. “É um projeto muito importante, altamente estruturante para a região e para a capital”, defendeu o prefeito.

Lula disse que Marinho está fazendo uma “administração excelente”. Sobre os projetos apresentados pelo prefeito, o ex-presidente disse apenas que este ano é muito importante para eles saírem do papel.

Como não poderia deixar de ser, futebol também fez parte da conversa entre os políticos. A aposentadoria de Ronaldo, o Fenômeno, e o desempenho do time do São Bernardo, último colocado no Campeonato Paulista, tomaram parte do tempo. “Falamos sobre futebol. Lula disse que estava na hora do Ronaldão parar, pois um jogador da categoria dele não pode passar por momentos vexatórios, quando a cabeça pensa uma jogada e o corpo não reage”, contou Marinho. Sobre o São Bernardo, tanto Lula como Marinho reconheceram que a equipe precisa marcar gols para sair da lanterna e escapar do rebaixamento. “Não adianta ter a maior posse de bola nos jogos e não marcar. Alguém precisa botar a bola para dentro”, disse Lula, segundo o prefeito.

Lula e Marinho tiveram a companhia de Heitor Pinto Filho, reitor da Universidade Bandeirante (Uniban), que tem uma unidade no município. Heitor ofereceu um espaço na instituição de ensino para que o ex-presidente possa guardar seu acervo e pertences recebidos durante os oito anos de mandato.