Leilão do Rodoanel terá financiamento do BNDES

Estadão

03 de novembro de 2010 | 12h29

O governo de São Paulo faz amanhã o leilão de concessão dos Trechos Sul e Leste do Rodoanel. O critério para a seleção da empresa ou consórcio que administrará os trechos rodoviários é o de menor tarifa de pedágio oferecida, tendo como base os tetos estipulados no edital: R$ 6 para o Trecho Sul e R$ 4,50 para o Trecho Leste. O BNDES vai financiar 70% da concessão. O banco ligado ao governo federal enviou carta à administraçãoo estadual no dia 25 de outubro informando o interesse em financiar a concessão da exploração do Trecho Sul – já em funcionamento – e da construção do Trecho Leste.

A entrega dos envelopes e a seleção serão realizados no Instituto de Engenharia, em São Paulo. Após a abertura dos envelopes com as propostas tarifárias, a fase seguinte é a de qualificação, quando serão analisados os documentos de execução do projeto, plano de negócios, aspectos jurídicos, técnicos, fiscais e econômico-financeiros. O vencedor será declarado somente após a aprovação nessa segunda etapa. A execução do processo de licitação, coordenação do julgamento das propostas e fiscalização do cumprimento do contrato de concessão são realizadas pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

O investimento previsto em ambos os trechos chega a R$ 5 bilhões e o prazo do contrato de concessão é de 35 anos. O vencedor deverá construir o Trecho Leste em até 36 meses e ampliar os serviços prestados aos usuários no Trecho Sul. A concessão também prevê o pagamento de outorga para o Estado no valor de R$ 370 milhões.

As praças de pedágio serão posicionadas nas saídas de cada trecho, porém o usuário pagará uma única vez em cada trecho, seguindo o mesmo modelo de cobrança que é adotado no Trecho Oeste. O Trecho Sul tem 61,4 quilômetros de extensão e o Trecho Leste terá 42,3 quilômetros.

Tudo o que sabemos sobre:

ArtespBNDESTrecho LesteTrecho Sul

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.