Influência nos governos locais 2

Estadão

11 Março 2010 | 16h33

O urbanista Jordi Borja, professor da Universidade da Catalunha, Espanha, diz que hoje é impossível falar em desenvolvimento das cidades sem levar em conta o uso de todas as tecnologias de comunicação e informação. “Na Espanha, até mesmo as pessoas que vivem em regiões mais precárias têm pelo menos um telefone celular e há que se favorecer o uso dessas tecnologias para o desenvolvimento das cidades.”
A participação popular, segundo Borja, é fundamental para que uma cidade altere seu perfil urbano. Foi o que aconteceu em Barcelona entre o fim da década de 1980 e início da de 1990, quando a capital da Catalunha passou por um amplo trabalho de recuperação, do qual Borja foi um dos artífices. “Barcelona recolheu as demandas dos movimentos populares para que eles construíssem o modelo de cidade que queriam”, afirmou, acrescentando que hoje esse processo é facilitado pelas novas tecnologias de comunicação.
Borja ressaltou que cada cidade deve encontrar a sua fórmula para o desenvolvimento: “Estamos frente a governos locais que entendem que não podem ser como antes. Mas cada cidade deve levar em conta sua história, sua cultura e suas características, formulando políticas públicas que respeitem os direitos de seus cidadãos.”