Abortos no Brasil e na Espanha

Estadão

05 de julho de 2010 | 12h14

Na Espanha, entrou em vigor hoje uma nova lei que permite aborto sem restrições dentro das primeiras 14 semanas de gravidez. A lei anterior, de 1985, previa que as mulheres podiam, em teoria, abortar se cumpridas algumas condições: até 12 semanas de gravidez em casos de estupro ou 22 semanas em casos de fetos malformados. Mesmo com as regras antigas, cerca de 100 mil abortos são realizados anualmente no país ibérico.

Enquanto isso, aqui no Brasil, o polêmico tema é evitado por tudo e por todos, principalmente nesse período eleitoral, e as mulheres recorrem a clínicas clandestinas, colocando em risco suas vidas. Aqui, o Ministério da Saúde estima que entre 730 mil e 1,2 milhão de mulheres se submetam ao procedimento todo ano, com pelo menos 250 mortes. Uma questão de saúde pública.

Tudo o que sabemos sobre:

Aborto

Tendências: