Estado não faz controle adequado da poluição do ar segundo 32% dos paulistanos

Estadão

09 de setembro de 2010 | 17h57

O paulistano está cada vez mais preocupado com o nível de poluição do ar na cidade. A quarta edição da pesquisa de percepção sobre mobilidade urbana feita pelo Ibope para o Movimento Nossa São Paulo mostra que 61% dos entrevistados consideram a poluição do ar um problema muito grave e 35% consideram grave.
Os dados da pesquisa ainda estão sendo tabulados. As entrevistas foram realizadas  entre 24 e 29 de agosto com moradores de todas as regiões de São Paulo. Preocupados com uma vida melhor, 81% apontam que a poluição do ar afeta muito a qualidade de vida da família e de pessoas próximas.
E basta o tempo ficar mais seco para que a sujeira comece a aparecer no céu da capital e a saúde da população começa a dar sinais alarmantes de intoxicação. Um terço da população pede que seja feito um controle maior e melhor da poluição do ar. Há 32% que se mostram totalmente insatisfeitos com o controle da poluição do ar feito hoje pelas autoridades. Já 36% estão totalmente insatisfeitos com a qualidade do ar.
Entre todos os tipos de poluição – ar, água, sonora e visual – a do ar é considerada por  79% dos entrevistados como a mais grave em São Paulo.
A pesquisa será divulgada no dia 16 de setembro, Dia Mundial Sem Carro 2010. Esta será a quarta edição do levantamento que aborda diversos aspectos sobre a locomoção na cidade, como o tempo de deslocamento gasto para realizar atividades do dia a dia, avaliação do transporte público, os tipos de meio de transporte mais usados entre outros.

Tudo o que sabemos sobre:

Ar; Movimento Nossa São Paulo; Ibope

Tendências: