As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sete filmes em produção

Edison Veiga

13 Março 2011 | 05h21

O roteirista e publicitário Lusa Silvestre, perfilado na seção Paulistânia de hoje, descreve a seguir os sete filmes que escreveu e cujas produções estão em andamento.

FOTO: JB NETO/AE

Dois Sequestros – drama
Santana é um pacato e cordial servidor público. Trabalha na carrocinha do Rio de Janeiro. Vive para sua família, sua mulher evangélica e sua bateria – rescaldo de sua vida anterior, boêmia e musical. Um dia, Santana captura o cachorro de um importante miliciano do Rio de Janeiro. Depois de três dias, o cachorro é sacrificado. E o miliciano resolve se vingar, sequestrando o filho de Santana. O garoto é libertado, mas aí é Santana que resolve sequestrar o sequestrador. E o prende em sua própria casa, local que julgava seguro. Mas a sua família começa a conviver com o perigoso sequestrado. Corroteirista: Marcos Jorge. A filmar em setembro.

E aí, Comeu? – comédia pseudorromântica
Três amigos se reúnem em um bar para comentar de suas vidas amorosas e desfilar suas pérolas do universo etílico masculino. Em paralelo, suas frágeis vidas amorosas são descortinadas, dando um panorama muito mais verdadeiro do que é o homem, hoje, dentro da luta dos sexos: frágil, carente e extremamente divertido. É o universo dos homens, aquilo que eles conversam quando estão bêbados e sós, finalmente revelado em toda sua crueza e humor. Inspirado na peça homônima de Marcelo Rubens Paiva, também corroteirista. A filmar em Junho.

A Glória e a Graça – comédia melodramática
Graça (Sandra Corveloni) é uma artista plástica que descobre que tem um aneurisma inoperável e fatal. Ela pode morrer de uma hora para outra. Preocupada com o futuro dos filhos, ela resolve retomar o contato com o irmão, com quem não falava há doze anos. Resolve então ligar para o irmão. E quem atende é Glória (Carolina Ferraz). O irmão tinha virado, nesses anos, um travesti E todos passam a conviver, enquanto o aneurisma permitir. Uma comédia melodramática com toques de Almodóvar. Roteiro original de Mikael Albuquerque, que eu peguei a partir do segundo tratamento. A filmar em outubro.

O Outro Lado do Paraíso – drama histórico
Drama baseado na riquíssima literatura do Luiz Fenando Emediato. Em 1963, Nando é um morador do Vale do Jequitinhonha, um dos lugares mais pobres do Brasil. Um dia, seu pai, sonhador, resolver participar da construção de Brasília. E pra lá leva toda a família. Mas, em Brasília, além de emprego, o pai arruma também uma ideologia: passa a ser voz ativa da esquerda, durante o governo de Jango Goulart. Mas a revolução estoura, o pai de Nando é preso, e a família tem que decidir onde vai morar. Um raro filme brasileiro contextualizado em Brasília, durante o Golpe de 64. Corroteirista: Ricardo Tiezzi.

O Amor é Importante, Porra – comédia dramática
Afonso mora na Espanha com seu namorado Javier. Não fala com o pai – um pintor abstrato – tem mais de dez anos, desde que se mudou para a Espanha e saiu do armário. Quando o pai morre de enfarte, Afonso – morrendo de remorso por não falar com ele há tanto tempo – decide retornar para o enterro. Chega tarde, perde o enterro, e resolve então reformar o jazigo da família, para aliviar a própria culpa. Depois da reforma, começa a pintar o túmulo como um quadro do pai, colorido, moderno, impactante. E tem que conviver com a comunidade do cemitério, inconformada com a aparência do túmulo, com a família que não sabe que ele é gay e com o próprio fantasma do pai, que reaparece para ajudá-lo na pintura do jazigo. Um filme com forte inspiração na arte tumular brasileira, principalmente Victor Brecheret, filmado no Père Lachaise brasileiro: o cemitério da Consolação.

Jardim Perfumado – comédia romântica
Baseado no livro de Ubiratan Muarrek (Caminho do Membro), conta a história de um médico legista que, depois de abandonado pela mulher, decide voltar à boemia e recuperar o tempo perdido. Mas a imagem da ex continua aparecendo e infernizando sua vida, mais até que os cadáveres que ele autopsia diariamente. Comédia romântica, corroteirizada por Marcos Jorge.

O Incrível Roubo da Taça Jules Rimet
– comédia baseada em fatos verídicos
Um longa que, desde já, está causando certa atenção no mercado de cinema do Brasil. Conta a história real de Peralta, um malandro de segunda categoria do Rio de Janeiro que, com dívidas de jogo, tem a infeliz ideia de roubar a Taça Jules Rimet. Mas ele não imaginava as repercussões desse ato, e de repente se vê perseguido pela polícia, pelos credores, pela CBD e infernizado pela própria mulher, a bela Dolores.