Sampa sympathique
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sampa sympathique

Nicola Són, o francês que canta São Paulo

Edison Veiga

12 Maio 2016 | 03h13

Foto: Rogério von Krüger/ Divulgação

Foto: Rogério von Krüger/ Divulgação

Sampa mais sympathique são ‘Sampathique’ para o francês Nicola Són, músico de 35 anos que adotou São Paulo para viver em 2013 e na noite desta quinta lança seu álbum em homenagem à capital paulista. O show será no Centro Cultural Rio Verde (Rua Belmiro Braga, 120, Vila Madalena), a partir das 21h – ingressos a R$ 35. Neste link, é possível ouvir as faixas do disco.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Por que essa homenagem a São Paulo?
Porque é a sequência lógica da minha pesquisa sobre a música brasileira, depois do foco sobre o samba carioca e as músicas nordestinas.
Também a cultura musical paulistana é forte e rica e também menos conhecida e divulgada no Brasil, e ainda menos no exterior, onde Brasil significa samba e carnaval.
Porque quando descobri o Itamar durante a minha primeira viagem a São Paulo, achei muito interessante e diferente. Sempre procuro coisas que saiam do ordinário.
Enfim, última razão: não podia não homenagear a cidade onde moro desde novembro 2013. Era óbvio.
Muitas razões se juntaram para esse projeto! Quase uma evidência!

Quando você conheceu São Paulo?
Conheci São Paulo durante a minha primeira viagem ao Brasil, em 2003. Depois de ter passado dois meses no Rio, em julho e agosto de 2003, peguei um ônibus e passei três meses em São Paulo para fazer um estágio no Bureau Export de la Musique Française; o escritório ficava dentro do consulado francês. Achei um apartamento na Paulista do lado do Parque Trianon.
O engraçado da história é que, na época, ajudava na produção dos eventos organizados pelo Bureau. Hoje são eles que me ajudam, pois esse lançamento e a turnê no Brasil são apoiados pelo Bureau Export de la Musique Française. A roda gira!

A música ‘No Trânsito’ (clipe abaixo) se inspira em uma canção de Tom Zé (‘Angélica, Augusta e Consolação’). Fala de uma história de amor e do famoso trânsito paulistano:

A seguir, um teaser de ‘Sampathique’: