Samba da vida
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Samba da vida

Projeto vai publicar uma canção por dia, com depoimento de paulistano identificado com o tema

Edison Veiga

20 Junho 2015 | 18h29

Foto: Oswaldo Jurno/ Estadão

Foto: Oswaldo Jurno/ Estadão


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Nem só de Adoniran Barbosa vive o sambista paulistano. Desde fevereiro, a artista e pesquisadora Aidê Resende está rodando pelas ruas para descobrir qual samba é a cara de cada um. A partir deste domingo (21), ela vai publicar um depoimento por dia, ao longo de um ano (os vídeos poderão ser vistos na página do projeto no Facebook).

Batizado de Eu Sou o Samba, a iniciativa enfatiza a importância da memória coletiva. De acordo com Aidê, “o samba está presente no repertório da população e pode ser ativado pela experiência e pela memória por meio da pergunta ‘Qual é o samba da sua vida?’”. A pesquisadora ainda lembra que, a
partir do início do século 20, houve planos culturais e esforços políticos para que o samba fosse considerado a identidade cultural brasileira. “O projeto acontece como uma oportunidade para conferir
se o samba faz parte mesmo do repertório afetivo-musical de quem passa ou vive por aqui, independente de classe social, referências e preferências musicais”, completa Aidê.

Mais conteúdo sobre:

CulturaMúsicaPaulisticesSão Paulo