Russos no mosteiro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Russos no mosteiro

Edison Veiga

15 Julho 2014 | 00h28

Foto: Divulgação

Cerca de 100 imigrantes russos, todos da mesma família, foram acolhidos pelo Mosteiro de São Bento após a Revolução Russa, em 1917. É por isso que há, ali na histórica igreja do centro paulistano, um quadro de Nossa Senhora de Kasperovo – de 27 cm por 22 cm, adornado com 6 mil pérolas do Oceano Pacífico, de tamanhos diferentes e formas irregulares.

“Originalmente, este era um ícone de viagem, acomodado em um pequeno estojo, podendo abrir-se, formando um pequeno oratório”, explica o monge beneditino d. João Baptista. “Nos resplendores de metal esmaltado que circundam as cabeças de Nossa Senhora e do Menino Jesus, estão incrustados rubis e turquesas.” De acordo com o monge, o quadro foi um presente dos imigrantes, após terem se hospedado na casa religiosa por cerca de dois meses. “O ícone foi doado ao abade d. Miguel Kruse por um oficial russo”, conta ele, citando o superior beneditino que viveu entre 1864 e 1929.

Publicado originalmente na edição impressa do Estadão, coluna ‘Paulistices’, dia 11 de julho de 2014

Tem Twitter? Siga o blog