‘Reinventado’, Parque da Mônica mantém a magia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Reinventado’, Parque da Mônica mantém a magia

Atração do SP Market é opção para as férias de janeiro da criançada

Edison Veiga

20 Janeiro 2016 | 00h01

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Quem foi criança nos anos 1990 precisa se despir das memórias para curtir o novo Parque da Mônica – inaugurado em julho do ano passado no Shopping SP Market, zona sul de São Paulo. Os personagens infantis mais famosos do Brasil, criados pela genialidade de Mauricio de Sousa, continuam lá, é claro. As atrações foram remodeladas – persistem os tradicionais Ce-bolinhas, Engenheiros do Parque e a Casa da Mônica, mas fazem faltam o clássico tobogã da entrada e a inusitada Casa do Louco, apenas para ficar em dois exemplos marcantes.

Por outro lado, o parque novo – 12 mil metros quadrados de área, contra os 9 mil metros quadrados do antigo, que ficava no subsolo do Shopping Eldorado, na zona oeste da cidade – conta com novidades como a Roda Gigante da Turma, a Montanha Russa do Astronauta e o Horacic Park, um trajeto de barquinho com queda d’água que lembra o Splash, do antigo Playcenter. Neste link, é possível conferir todas as atrações do empreendimento.

O preço também mudou. Em fevereiro de 2010, a entrada individual inteira custava R$ 45,00 (para crianças de 2 a 10 anos) e R$ 30 (para maiores de 11 anos). Divertir-se agora no Parque da Mônica sai por R$ 139 (inteira individual) – mas há pacotes para grupos.

Para a fantasia da criançada, os pontos altos seguem sendo as aparições dos personagens – com a diferença de que, se nos anos 1990 eles tinham de dar autógrafos elaborados, agora as filas são para tirar ‘selfies’ com a garotada. Tecnologia à parte, a magia segue a mesma.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A reabertura do parque, no simbólico ano em que Mauricio comemorou seu octogésimo aniversário, tem um quê de vitória pessoal para o criador da famosa turminha. No último dia do funcionamento do espaço no Eldorado, em fevereiro de 2010, ele me disse que não havia tristeza. “É apenas o fim de um período”, comentou comigo, horas antes de comparecer pessoalmente ao parque. “Eu tenho de ir com essa cabeça, senão acabo desabando lá e ficando ‘choraminguento’. Isso não pode acontecer de jeito nenhum.”

Na ocasião, aliás, ele sorteou uma tirinha em que Mônica e Cebolinha travavam o seguinte diálogo:

– Ô Mônica! “Espela” um pouco. Essa festa é de despedida.

– Claro, Cebolinha! Mas não tem tristeza! Porque o parque nunca vai acabar! Ele pode ir para qualquer lugar. Mas tem um em especial de onde ele nunca sairá! Do coração de milhares de crianças que por aqui passaram!

Os números realmente eram impressionantes. Criado em 1993, o parque recebeu em seu último ano uma média de 43 mil visitantes por mês. O parque atual foi criado com capacidade para atender 3 mil pessoas simultaneamente.

“O parque é muito especial para mim, para toda a minha família e creio que para várias outras famílias também. Estamos todos muito contentes que esse projeto virou realidade para que as pessoas possam se divertir com a Turma da Mônica”, disse Mauricio, quando o espaço do SP Market foi inaugurado, em julho passado.

Mais conteúdo sobre:

CriançasLazerSão Paulo