Quando a própria cidade é o palco
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quando a própria cidade é o palco

Edison Veiga

21 de junho de 2012 | 04h03

TEATRO

Desde sábado, o Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como Trianon, na Avenida Paulista, se transforma em palco para a encenação de O Que Ali Se Viu, do Coletivo Teatro Dodecafônico (foto). Gratuitas, as apresentações ocorrem até o dia 1.º, aos sábados e domingos, sempre às 15h. A performance é inspirada em Alice, famosa personagem de Lewis Carroll (1832-1898).

O grupo Opovoempé também prepara encenações diferentes pela cidade. Vêm aí três espetáculos, que integram o projeto A Máquina do Tempo. O primeiro, batizado de O Farol, estreia nesta sexta, às 11h. Começa no Hotel Sheraton São Paulo WTC, na Marginal do Pinheiros, e termina em um vagão de trem da CPTM. Em cartaz até 25 de julho, a peça é grátis – mas é preciso se inscrever antes pelo (11) 8389-8231.

As outras duas peças do mesmo projeto já têm data e local. O Espelho será encenada de 30 de junho a 29 de julho, no Parque da Água Branca. Já a temporada de A Festa deve acontecer entre 14 de julho e 5 de agosto, no Espaço b_arco, em Pinheiros.

Publicado originalmente na edição impressa do Estadão, coluna ‘Paulistices’, dia 18 de junho de 2012

Tem Twitter? Siga o blog

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.