Para estudiosos do catolicismo, encíclica mostra ‘caráter pastoral’ de Francisco
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para estudiosos do catolicismo, encíclica mostra ‘caráter pastoral’ de Francisco

Laudato Si', a primeira carta ecológica da História da Igreja Católica, foi publicada na última quinta

Edison Veiga

21 Junho 2015 | 00h01

Foto: Vincenzo Pinto/ AFP

Foto: Vincenzo Pinto/ AFP


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Para estudiosos da Igreja Católica, a encíclica divulgada pelo Vaticano na última quinta consolida o caráter pastoral do papa Francisco. “O segredo de sua liderança mundial está no fato de que ele é espiritual e dá testemunho de sua vida profunda com Deus”, analisa o teólogo Francisco Catão, autor do livro Catecismo e Catequese, entre outros. “Ele não é um papa administrador, teólogo ou empenhado na estrutura do Vaticano. Sempre se mostrou mais espiritual do que teórico.”

Assim, ao emprestar sua influência global a uma questão urgente como o meio ambiente, o papa “assume desde o início uma posição de quem fala como homem, como cristão, como pastor”, complementa Catão. “Voltado não para a maneira de se comportar das pessoas, mas sim para o espírito que deve prevalecer na sociedade.”

“As pessoas têm que entender que o objetivo da encíclica não é dar uma lição aos ecologistas, mas apoiá-los em sua luta”, afirma o biólogo e sociólogo Francisco Borba Ribeiro Neto, coordenador do Núcleo Fé e Cultura da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) – e professor, durante 20 anos, de Ecologia na PUC de Campinas. “Portanto, não existe ali grandes novidades neste campo, apenas a exposição do que já é consensual. Com a encíclica, o papa coloca sua autoridade moral e da Igreja a serviço da causa ambiental.”

“Em meio às sombras da realidade ambiental do planeta, Laudato Si’ procura aportar luz”, afirma o jornalista Roberto Zanin, porta-voz da prelazia Opus Dei no Brasil. “O Papa acredita que o mesmo ser humano que não soube cuidar de sua casa, é capaz de converter seu modo de pensar e agir para reconstruir o planeta, como (São) Francisco (de Assis) reconstruiu a Igreja.”

Leia em português a íntegra da encíclica:

Mais conteúdo sobre:

Igreja CatólicaReligião