Os nomes das cidades
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os nomes das cidades

Evento nesta quarta no Catavento vai debater as origens dos nomes dos municípios paulistas

Edison Veiga

16 Agosto 2016 | 16h15

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

São muitas e incríveis as curiosidades por trás dos nomes dos 645 municípios do Estado de São Paulo. Um exemplo: 44 têm seus nomes relacionados a exemplares da fauna brasileira. Dez municípios são nomes de mamíferos, como Cotia e Taiaçu; 6 cidades, como Guará e Jacupiranga, homenageiam aves; 14, como Piraju, Dourado e Alambari, referem-se a peixes; 6 municípios, como Borá e Irapuã, são nomes de abelhas; Taciba é nome de formiga; Birigui e Motuca são moscas; referem-se a cobras Aguaí e Boituva; a tartarugas, Jeriquara; a crustáceos, Potim; e a anfíbio, Guarujá (viveiro de sapos). Outro exemplo: 50 têm nomes que homenageiam plantas – nomes de árvores: 32, como Cabreúva e Indaiatuba; nomes relacionados a taquaras: 5, como Itaquaquecetuba e Taquarituba; nomes relacionados a outros tipos de plantas: 13, como Sumaré (um tipo de orquídea).

Nesta quarta (17), a partir das 10h30, o Auditório do Museu Catavento (Av. Mercúrio, s/nº, Brás) sedia uma mesa-redonda que vai debater justamente essas questões. É um aquecimento para a mostra ‘A Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas’, que está prevista para iniciar em setembro, em Itápolis, no interior.

Participam da mesa o diretor do Museu da Língua Portuguesa, Antonio Carlos Sartini, o jornalista e artista plático Enio Squeff e o tradutor e mestre em línguas indígenas Marcel Ávila. A participação é gratuita, mas é preciso se inscrever antes por este link.

Faça o quiz abaixo e confira se você é craque no assunto: