Monumento ao Duque de Caxias deve ser restaurado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Monumento ao Duque de Caxias deve ser restaurado

Ideia é que interior da obra possa abrigar pequenos eventos

Edison Veiga

25 Agosto 2016 | 03h00

Foto: Werther Santana/ Estadão

Foto: Werther Santana/ Estadão

O imenso Monumento ao Duque de Caxias, obra de Victor Brecheret (1894-1955) que adorna a Praça Princesa Isabel, na região central de São Paulo, deve passar por obras de restauro – em valores estimados entre R$ 260 mil e R$ 320 mil. Os trabalhos, capitaneados pela Fundação Cultural do Exército Brasileiro (Funceb), devem ser financiados pela empresa Porto Seguro.

A recuperação da escultura equestre deve ser anunciada na manhã desta quinta (25), no aniversário de 56 anos da inauguração da mesma. Em evento marcado para acontecer na própria praça a partir das 10h30, a Funceb vai receber uma insígnia do Exército, em reconhecimento aos seus serviços históricos e culturais. A efeméride tem seus motivos: 25 de agosto é o Dia do Soldado.

De certa forma, os trabalhos de restauro já começaram. “Nos últimos três meses, fizemos a limpeza geral da praça e do próprio monumento. A iluminação também foi melhorada”, conta o empresário Marcos Arbaitman, presidente da Funceb.

A partir de agora, segundo ele, vem a maior parte dos trabalhos – com estimativa de um ano de conclusão. “Vamos restaurar até a parte interna da obra do Brecheret”, destaca. “É inacreditável como está lá dentro. Precisa de uma limpeza urgente.”

Arbaitman vislumbrar deixar o interior do monumento tinindo a ponto de poder sediar pequenos eventos. Desta vez, não o do cavalo, mas o da base do monumento. Se a ideia parece esquisita aos contemporâneos, vale ressaltar que já houve um banquete lá dentro – com 70 participantes.

História. Entre 1948 e 1952, o Monumento ao Duque de Caxias, era fundido nas oficinas do Liceu de Artes e Ofícios. Então governador de São Paulo, Adhemar de Barros (1901-1969) resolveu comemorar em grande estilo: com um almoço dentro da barriga do cavalo (ainda sem a parte de cima). Foram 50 convidados sentados e 20 em pé (foto abaixo).

Foto: Acervo Estado

Foto: Acervo Estado

A ideia de homenagear Duque de Caxias partiu de um grupo de autoridades, batizado de “Comissão Pró-Monumento a Caxias”. Em 1942, o escultor Victor Brecheret (1894-1955) foi contratado para a empreitada.

De acordo com o plano original, a escultura seria colocada no Largo do Paiçandu. Pelo gigantismo do projeto, entretanto, a Prefeitura optou pela Praça Princesa Isabel. O monumento tem mais de 40 metros de altura – quase 16 de estátua e cerca de 25 de pedestal.

Brecheret entregou os modelos à Prefeitura em 1945. Problemas administrativos e falta de dinheiro atrasaram os trabalhos. E o Monumento ao Duque de Caxias só foi inaugurado em 25 de agosto de 1960, cinco anos após a morte de Brecheret.

Foto: Werther Santana/ Estadão

Foto: Werther Santana/ Estadão