Louco por trilhos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Louco por trilhos

Edison Veiga

30 Março 2017 | 07h26

Foto: Hyan

Foto: Hyan Henrique Silva de Andrade/ Acervo Pessoal

Foi um programa de férias: ao longo de oito dias, em janeiro, o estudante Hyan Henrique Silva de Andrade, de 17 anos, conheceu, uma a uma, todas as 92 estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Foram 260 quilômetros sobre trilhos. Em cada parada, ele visitou as plataformas, o mezanino e tirou uma selfie. Antes, em um fim de semana, tinha feito o mesmo com o Metrô. “A graça da CPTM é que a aventura é bem mais interessante. São cenários e paisagens diferentes. O Metrô, por outro lado, tem fluxo mais rápido e estações pequenas: então foi muito mais fácil”, compara.

Curioso é que até 2015, Andrade nunca tinha visto um trem na vida. Ele se encantou com o meio de transporte ao se mudar com a família de Registro, no interior, para Suzano, na região metropolitana. Não à toa, atualmente cursa, simultaneamente, Transporte Terrestre (na Fatec) e Transporte Metroferroviário (na Etec).

Mais conteúdo sobre:

São PauloMetrôCPTM