Hospital treina funcionários para atender melhor aos idosos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Hospital treina funcionários para atender melhor aos idosos

Iniciativa inédita capacitou 7 mil pessoas desde o início do ano

Edison Veiga

07 de maio de 2015 | 08h00

Foto: Márcio Fernandes/ Estadão

Foto: Márcio Fernandes/ Estadão


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Leia Também

Crônicas de SP

Escrever o nome em uma ficha usando grossas luvas de borracha. Caminhar por um corredor com alto degrau – tendo o chão forrado de brita. Ouvir um chamado com um volume muito baixo. Usar andador, muletas e bengalas. Nas últimas semanas, os 7 mil funcionários do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) experimentaram essas sensações, em um inédito treinamento para que eles se sensibilizem com as dificuldades enfrentadas pelos idosos – que representam 60% das internações realizadas no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), na capital paulista.

A iniciativa serviu para que os agentes da instituição compreendam melhor as diferentes maneiras de prestar atendimento a esse público. “A compreensão que os profissionais de saúde têm, principalmente do público idoso, interfere diretamente na maneira como a assistência é prestada”, comenta o superintendente do Iamspe, Latif Abrão Junior. “Sendo assim, é preciso possibilitar que vivenciem esta fase da vida para que a compreendam e possam atender e tratar as condições que afligem a pessoa idosa, estimulando-as e capacitando-as para um envelhecimento ativo e saudável.”

Pelo treinamento, os funcionários experimentaram dificuldades de visão, locomoção, audição e paladar – além, é claro, das doenças típicas de quem tem idade avançada. “Como profissional, a gente imagina que entende o lado do outro. Mas depois dessa experiência, vi que nem sempre é assim”, comenta a enfermeira Patricia Orlandeli Mendonça Amaral, de 32 anos. “Até comentei com os colegas: na próxima vez que um idoso estiver demorando na minha frente, não vou mais perder a paciência.”

Foto: Márcio Fernandes/ Estadão

Foto: Márcio Fernandes/ Estadão

“De certa maneira, já estamos sensibilizados com o idoso por conta do nosso dia a dia. Mas só participando da oficina é que conseguimos entender realmente o quão difícil é para esse público executar as tarefas mínimas do dia a dia”, ressalta o médico infectologista e acupunturista Marco Broitman, de 40 anos, gerente clínico do HSPE. “Ao caminhar na brita, por exemplo, podemos perceber a dificuldade de mobilidade do idoso – e o quanto costumamos minimizar essa dificuldade. Depois da experiência, entendemos que o problema é realmente impactante.”

Circuito. Cada funcionário foi convidado a percorrer um circuito – a atividade durou cerca de 15 minutos, por pessoa. Ali, tiveram de andar sobre a brita com um pé só, usando andadores, muletas e bengala. Também precisaram preencher um formulário com palavras impressas de forma embaçada, dificultando a visão. Recebiam a instrução de um médico, mas em um volume muito baixo, para que não conseguissem ouvir direito. Para exemplificar aos funcionários a dificuldade de olfato e paladar, que muitas vezes leva o idoso a colocar mais sal e açúcar na comida, expondo-o a problemas como hipertensão e diabetes, a equipe de nutrição do Iamspe preparou um composto que parecia uma gelatina de morango, mas que não tinha gosto, nem cheiro. Vestindo uma luva de borracha grossa, o participante também precisou escrever o seu nome em uma lista de presença.

A iniciativa do Iamspe teve como objetivo conquistar o

, lançado pelo governo do Estado e que será entregue a instituições públicas e privadas que implantarem rotinas de assistência especializada à pessoa idosa. O Hospital do Servidor Estadual quer ser o primeiro a receber o selo. Uma das exigências do selo é que a instituição aprimore seus conceitos e valores para o cuidado da pessoa idosa.

Foto: Márcio Fernandes/ Estadão

Foto: Márcio Fernandes/ Estadão

Seguradora tem projeto semelhante, voltado aos porteiros

Estão abertas as inscrições para a segunda turma do programa Porteiro Amigo do Idoso, iniciativa do Grupo Bradesco Seguros com o objetivo de sensibilizar funcionários de condomínios residenciais de São Paulo para o atendimento aos idosos – moradores ou visitantes dos prédios. Grátis, as aulas acontecem de 12 a 14 de maio, das 13h às 18h, no Jardim Paulista. Interessados precisam se inscrever neste site.

As aulas da primeira turma foram concluídas em 30 de abril. Serão mais oito treinamentos, até o fim do ano.

Tudo o que sabemos sobre:

CidadaniaSão PauloSaúde

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: