As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Guerra e Paz

Edison Veiga

07 de fevereiro de 2012 | 01h32

FOTO: HELVIO ROMERO/ AE

Começa hoje uma exposição imperdível em São Paulo. Os famosos murais Guerra e Paz, de Candido Portinari, ficarão expostos até o dia 21 de abril no Memorial da América Latina.

Guerra e Paz são obras da década de 50 feitas especialmente para a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Entre 1952 e 1956, Candido Portinari trabalhou nesses painéis, encomendada pelo governo brasileiro para presentear a ONU. A ideia de Portinari era retratar a guerra não por meio dos soldados, mas por meio das vítimas. Foram os últimos grandes painéis pintados por Portinari. Depois disso, ele adoeceu, vítima de intoxicação por conta das tintas que sempre utilizou e acabou morrendo em 1962.

Depois de serem expostos no Teatro Municipal do Rio, os imensos painéis – cada um tem 14 metros de altura por 10 metros de comprimento – finalmente foram instalado sem Nova York, em 1957, no hall de entrada da Assembleia Geral da ONU.

Quando o filho do pintor, o professor João Candido Portinari, soube que as instalações da ONU passariam por uma reforma, entre 2010 e 2013, conseguiu a guarda dos painéis. Era a oportunidade de Guerra e Paz percorrer o mundo.

Serviço
Guerra e Paz, de Portinari
Exposição dos painéis pintados por Candido Portinari
Período: 7 de fevereiro a 21 de abril de 2012
Local: Fundação Memorial da América Latina,
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
Horário: terça a domingo, das 9h às 18h
Grátis

(Esta é a sinopse de minha coluna exibida ontem pela rádio Estadão ESPN)