Gatolândia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Gatolândia

Edison Veiga

13 Agosto 2010 | 11h38

FOTO: DIVULGAÇÃO

Um grande evento deve reunir, neste fim de semana, os apaixonados por gatos em São Paulo. A exposição, com exemplares de mais de dez raças diferentes, aconterá na quadra da Mancha Verde, na Barra Funda. Para informações, clique aqui.

O blog entrevistou Gerson Alves Pereira, presidente do Clube Brasileiro do Gato.

Qual o ponto alto do evento?
O evento em seu conjunto é muito interessante. O visitante consegue passear por entre os criadores apreciando os gatos de diferentes raças, tirando suas dúvidas e saciando suas curiosidades. Poderão observar os juízes analisando cada gato, tecendo comentários… Mas é mais ao fim do dia, quando iniciamos as finais, que o evento atinge seu ápice. Iniciam-se as premiações dos melhores gatos da exposição, até o ponto máximo da escolha, pelos juízes, do “best over all”, o melhor gato da exposição – este é o ponto culminante do evento, esperado por todos durante todo o dia.

Qual a raça de gato mais comum em São Paulo? Por quê?
A raça mais comum, a que tem o maior volume de registros, é a persa. Os gatos desta raça são muito apreciados por sua exuberante beleza plástica, são dotados de uma pelagem deslumbrante e ainda são os gatos de temperamento mais doce. São tranquilos, muito calmos e muito companheiros. Detalhes que o tornaram o mais procurado pelos paulistanos.

Há uma estimativa de quantos gatos existem em São Paulo?
O último censo animal, realizado em 2002 pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), indicava 1,5 milhão de cães e 230 mil gatos supervisionados – com algum responsável – na capital. Em 2008, a população canina alcançou 2,4 milhões e a felina, 580 mil. Não temos informações atualizadas, mas com certeza já cresceu muito desde então.

De onde vem essa raça maine coon, cujos exemplares podem medir mais de 1 metro? Quanto custa um desses? Quais suas principais características?
O maine coon é originário dos Estados Unidos, do estado do Maine, daí seu nome. Surgiu do acasalamento de gatos domésticos que viviam nos navios pesqueiros típicos do estado do Maine, para controle da população de ratos que habitualmente vivem em navios, com gatos selvagens das florestas do Maine. Originando um gato de grande porte, o maior gato domestico que existe, com aspecto selvagem, mas de um excelente caráter. Companheiro, ativo, persegue seu dono o tempo todo dentro de casa. É um gato silencioso, não vocaliza muito, e por seu temperamento amistoso é conhecido como o “gigante gentil”. O custo médio de um filhote para companhia, vendido castrado, é de R$ 2.500,00.

E o don sphynx?
Originário da Rússia, surgiu a partir de uma mutação espontânea em uma gata de nome Varvara, recolhida das ruas da cidade de Rostov on Don, no ano de 1987. Varvara e seus descendentes deram origem a toda a raça, que foi estabelecida em 1997. São gatos muito afetuosos, ativos, companheiros, procuram estar o tempo todo junto ao dono. Devido à ausência de pelos, necessitam de cuidados com sol excessivo e proteção em dias mais frios, com roupinhas e cobertores. Um filhote para estimação, vendido castrado, custa em média R$ 3.500,00.