Entre livros e escritores
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entre livros e escritores

Edison Veiga

18 Janeiro 2014 | 00h14

DO FUNDO DO BAÚ

FOTO: FELIPE RAU/ ESTADÃO

A pompa é menor do que a da Academia Brasileira de Letras. Mas, nos mais de 100 anos de história, a Academia Paulista de Letras congregou escritores importantes como Monteiro Lobato (1882-1948), Plínio Salgado (1895-1975) e Mário Chamie (1933-2011). Atualmente, figuram entre os imortais paulistas Ignácio de Loyola Brandão, Lygia Fagundes Telles e Mauricio de Sousa. E, além da instituição criada em 1909, o prédio ocupado por ela também tem lá seu valor histórico. Projetado pelo arquiteto francês Jacques Pilon (1905-1962), o edifício é tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado (Condephaat).

Lgo. do Arouche, 312, metrô República, 3331-7222.

Publicado originalmente na edição impressa do Estadão, coluna ‘Paulistices’, dia 27 de dezembro de 2013

Tem Twitter? Siga o blog