Ecos do poeta chileno
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ecos do poeta chileno

Edison Veiga

18 de junho de 2014 | 14h35

FOTO: PAULO LIEBERT/ ESTADÃO

Localizada nos Jardins, a praça é das Guianas. O poeta homenageado pela escultura é espanhol (Federico Garcia Lorca, 1898-1936). Mas a história está ligada a um chileno, o poeta Pablo Neruda (1904-1973). Temos, então, mais um capítulo da série Paulistices na Copa, já que logo mais jogam Chile e Espanha.

Neruda foi um dos participantes da cerimônia de inauguração do Monumento a Federico Garcia Lorca – obra do arquiteto Flávio de Carvalho (1899-1973), em 1º de outubro de 1968. Roubou a cena, com um caloroso discurso em homenagem ao amigo Garcia Lorca.

A escultura ainda estaria no centro das atenções em outra ocasião, também em plena Ditadura Militar. Foi na madrugada de 20 de julho de 1969, quando uma explosão acabou danificando o monumento. Nunca se comprovou a autoria do ato, mas há quem acredita ter sido obra do Comando de Caça aos Comunistas (CCC). Os destroços acabaram abrigados em um depósito da prefeitura a escultura foi restaurada, pelo próprio autor, em 1971.

Notícias relacionadas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.