Da literatura persa
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Da literatura persa

Edison Veiga

16 de junho de 2014 | 08h03

A série Paulistices na Copa traz hoje uma curiosidade paulistana do Irã – que joga contra a Nigéria às 16h. Ou melhor: da Pérsia, como a região era chamada no passado.

foto: divulgação

Trata-se do tradicional grupo de restaurantes Rubaiyat. A explicação está no próprio site oficial da empresa paulistana. Veja:

“Para quem não sabe, o nome Rubaiyat vem de uma coleção de poemas de autoria do matemático, astrônomo e poeta Omar Khayyan (1048-1131). Originalmente escritos em persa, com quatro linhas. Em persa, a palavra rubaiyat significa “quadra”. Uma das estrofes do Rubaiyat de Omar Khayyam diz mais ou menos assim:

Mesmo se só tivéssemos para comer um naco de pão,
um pernil de carneiro e uma ânfora de vinho,
para nós dois, no deserto, isso seria mais que suficiente.
Nossa riqueza seria maior do que a de qualquer sultão.”

Ps.: Não há nenhuma rua denominada Irã no município de São Paulo. Mas, no distrito do Ipiranga, existe uma chamada Pérsia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.