Cinemateca recupera galpão que pegou fogo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cinemateca recupera galpão que pegou fogo

Com exclusividade, confira lista completa dos filmes perdidos

Edison Veiga

09 Abril 2016 | 16h00

Foto: Daniel Teixeira/ Estadão

Foto: Daniel Teixeira/ Estadão

Atingida por um incêndio em fevereiro deste ano, a Cinemateca Brasileira, na Vila Clementino, zona sul de São Paulo, perdeu 731 títulos, em 1.003 rolos. Eram matrizes em nitrato de celulose, que estavam acondicionadas na câmara 3 de um galpão especialmente utilizado para armazenar esse tipo de material – altamente inflamável. A instituição é mantida pelo governo federal, por meio do Ministério da Cultura.

Do total, 461 obras tinham cópias; o restante se perdeu. Todo o setor foi esvaziado, com o restante do material transferido provisoriamente para outro espaço da Cinemateca.

“Dentro de 20 dias, as obras de restauro devem ser concluídas para que o acervo em nitrato volte a ser acondicionado ali”, estima Pola Ribeiro, secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura. O material perdido pertence a oito depositantes, além da Cinemateca.

Cinejornais. O inventário foi concluído na última semana – o Estado teve acesso exclusivo à lista (clique para fazer o download da relação completa dos títulos). A maioria dos filmes perdidos, 98,1%, era formada por cinejornais. Havia ainda curta-metragens (1,7%), um teste de atores de longa-metragem – do filme O Palhaço Atormentado, de 1946, – e um registro publicitário. No total, 181.335 metros de filme foram queimados.