Chuva de livros na CPTM
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Chuva de livros na CPTM

Companhia vai distribuir 55 mil livros na próxima semana

Edison Veiga

19 de novembro de 2015 | 17h57

Foto: Epitácio Pessoa/ Estadão

Foto: Epitácio Pessoa/ Estadão


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Atenção, amantes da leitura: a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) vai distribuir, ao longo da próxima semana, 55 mil livros aos seus usuários. O projeto, chamado Livro Livre, vai funcionar das 12h às 14h, nas seguintes estações:

Dia 24, terça – Estação da Luz (Linhas 7-Rubi e 11-Coral)
Dia 25, quarta – Estação Tatuapé (Linhas 11-Coral e 12-Safira)
Dia 26, quinta – Estação Barra Funda (Linhas 7-Rubi e 8-Diamante)
Dia 27, sexta – Estação Osasco (Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda)

“O objetivo é estimular o Bookcrossing, movimento que inspirou o Livro Livre CPTM e que ocorre em vários lugares do mundo com um convite sedutor: deixar o livro em locais públicos, como uma estação ou banco de trem, para que outro leitor o encontre e, após a leitura, faça-o circular, ampliando o acesso ao conhecimento”, informa a companhia, em texto de divulgação. “Além da distribuição de livros, haverá bate-papos e debates culturais entre os dias 24 e 27 nas estações. Para comemorar os 10 anos do projeto, a abertura da edição deste ano será com uma mesa-redonda sobre os bastidores da realização de biografias no dia 24, na Estação da Luz, às 12h.”

Eis a lista dos palestrantes do projeto:
* Gonçalo Júnior, autor de ‘Quem Samba Tem Alegria’, sobre o músico Assis Valente, e biógrafo de Rubem Alves;
* Luiza Nagib Eluf, autora de ‘A paixão no banco dos réus’, com relatos sobre os principais crimes passionais do país, e de ‘Matar ou Morrer’, sobre Euclides da Cunha;
* Oscar Pilagallo, biógrafo do cantor ‘Roberto Carlos’, volume da série Folha Explica, lançado em 2008, e autor de vários livros, sendo o mais recente a história em quadrinhos ‘O Golpe de 64’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.