As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Carnaval 2016: Prefeitura abre inscrições para blocos

A partir desta terça, grupos interessados em participar podem se cadastrar; secretário pretende evitar blocos grandes na Vila Madalena

Edison Veiga

17 Novembro 2015 | 02h11

Foto: Rafael Arbex/ Estadão

Foto: Rafael Arbex/ Estadão


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Foliões: preparem as fantasias porque o carnaval de rua 2016 começa nesta terça (17), na programação oficial da Prefeitura. A partir desta data, blocos e cordões interessados em receber apoio da administração municipal devem se cadastrar em www.carnavalderua.prefeitura.sp.gov.br. Gratuito, o procedimento fica aberto até 13 de dezembro.

Em entrevista ao Estado, o secretário municipal de Cultura Nabil Georges Bonduki afirmou que pretende “enfrentar o problema” da concentração dos blocos carnavalescos no bairro da Vila Madalena, “que não comporta esse número tão grande de pessoas”. “Uma coisa são os blocos que nasceram no bairro e têm essa ligação histórica com o local. Mas os grandes grupos que vêm de fora, esses nós iremos decidir um trajeto, em comum acordo, que não passe pelo eixo da região”, disse. “A ideia é não ter nenhum bloco grande na Avenida Sumaré, por exemplo.”

Nesta primeira etapa, a Secretaria Municipal de Cultura vai receber as informações gerais e propostas de percursos dos grupos interessados em participar da programação oficial do Carnaval de Rua de São Paulo. Em seguida, esse cadastro será submetido à Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e à Subprefeitura da região escolhida para o desfile. Só após esses avais, os responsáveis pelo bloco ou cordão devem receber autorização de saída.

Uma vez aceitos, os grupos precisam fazer novo cadastramento, desta vez em www.spcultura.prefeitura.sp.gov.br. Só então, estarão incluídos no Guia de Blocos da Prefeitura de São Paulo.

Em 2016, a temporada oficial do carnaval de rua vai de 29 de janeiro a 14 de fevereiro. A Prefeitura espera receber o cadastramento de 400 grupos de foliões.

Estrutura. Em nota, a organização do carnaval de rua da Prefeitura ressaltou que os blocos “poderão ser incluídos no programa de benefícios, considerando as dimensões e a necessidades, a partir de uma análise global de todas as demandas”. “Com o cadastramento é possível dimensionar os serviços necessários. As Subprefeituras poderão acomodar, em conjunto com a Secretaria Municipal de Cultura, as demandas de cada bloco, conforme distribuição de público e características de cada local, bem como organizar a agenda do Carnaval de Rua, tendo em vista os locais e trajetos indicados. O objetivo é planejar a oferta de serviços de infraestrutura e mobilidade como fechamento de vias e desvio do trânsito, disponibilidade de banheiros químicos, cadastramento de ambulantes, ambulâncias, serviços de limpeza das ruas, etc.”, informou o comunicado.

“Todo bloco, em princípio, contará com algum tipo de proteção no trajeto e banheiros”, disse o secretário Bonduki. De acordo com as estimativas da Secretaria da Cultura, os investimentos no carnaval de rua serão um pouco acima dos R$ 4 milhões de 2015. “Mas só teremos como consolidar um valor assim que tivermos o número total de grupos cadastrados”, explicou Bonduki.

A Secretaria de Cultura pretende fomentar a criação de blocos em outras subprefeituras da cidade, fora do eixo Pinheiros-Sé. “Queremos estimular blocos na periferia, com boa infra-estrutura”, disse o secretário.

“Nas próximas semanas será publicado o Decreto Municipal que trará as regras para este ano e se iniciará as reuniões gerais com os blocos. Atualmente, a Secretaria Municipal de Cultura está realizando diálogos internos com as Subprefeituras e outras secretarias municipais, além da Polícia Militar”, complementou a secretaria, em nota.

Mais conteúdo sobre:

LazerSão Paulo