Apressadinhos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Apressadinhos

O prato é feito devagar, mas chega rápido

Edison Veiga

16 Novembro 2015 | 07h35

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Tendência em restaurantes descolados, pratos que demoram horas para serem feitos, mas em minutos são montados e servidos ao cliente, podem ser encontrados em muitas casas da cidade. É o caso do sanduíche do bar Tigre Cego (R. Girassol, 654, Vila Madalena): a carne de boi do recheio fica dez horas no forno e outra hora marinando. A Taquería La Sabrosa (R. Augusta, 1.474, Consolação) também tem receitas assim, como o taco adobado (foto), de pernil e costela de porco, que levam seis horas para ficarem no ponto. No Sanpo Bentô Deli (R. Fradique Coutinho, 166, Pinheiros), tem o shogayaki: carne de porco que fica marinando um dia inteiro – mas é servida cinco minutos após o pedido.

Outros exemplos de fast-food com longo preparo prévio: o polvo do Venga (R. Delfina, 196, Vila Madalena), com cinco horas de preparo; as sardinhas do Taberna da Esquina (R. Bandeira Paulista, 812, Itaim), marinadas por 24 horas; e o bouef bourguignon do Ici Brasserie (R. Bela Cintra, 2.203, Jardins, e outras três unidades), preparado por 18 horas.

Mais conteúdo sobre:

GastronomiaPaulisticesSão Paulo