Alex Flemming e o transporte público como suporte para a arte
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alex Flemming e o transporte público como suporte para a arte

Edison Veiga

03 Dezembro 2013 | 00h02

FOTO: REPRODUÇÃO

A obra mais conhecida do artista plástico paulistano Alex Flemming é, muito provavelmente, aquela instalação com 44 rostos que fica na estação Sumaré do metrô – mesmo para quem não conhece o artista. A peça está exposta desde a abertura da estação, em 1998. Agora, Flemming usou novamente o transporte público como suporte artístico. Desde julho, quando foi inaugurada a nova estação São Miguel Paulista da CPTM, uma obra dele entrou em exposição no local: um painel em esmalte sobre metal, com intervenções sobre fotos de olhares humanos. Além disso, Flemming também tem uma obra exposta, desde 1991, na estação de trem de Santo André, na região metropolitana de São Paulo.

Tema da coluna veiculada pela rádio Estadão em 4 de setembro de 2013