Abril encerra parceria na Praça Victor Civita
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Abril encerra parceria na Praça Victor Civita

Sobre terreno contaminado em Pinheiros, área verde foi inaugurada em 2008

Edison Veiga

01 Janeiro 2016 | 14h21

Foto: Alex Silva/ Estadão

Foto: Alex Silva/ Estadão


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Chegou ao fim no último dia de 2015 a parceria firmada em 2007 entre o Grupo Abril e a Prefeitura de São Paulo que viabilizou a recuperação de um terreno contaminado em Pinheiros, zona oeste da cidade, e sua transformação em moderna área verde, a Praça Victor Civita, inaugurada em 2008. Desde sexta (1º) o espaço de 14 mil metros quadrados deve ser administrado pela gestão municipal, por meio da Subprefeitura de Pinheiros.

Com um conceito moderno e premiado por conta da sustentabilidade – entre outros, o projeto ganhou o VII Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa na categoria Obras Públicas Green –, a praça conta com uma curiosa solução de decks suspensos, de modo que os visitantes não tenham contato direto com o solo, repositório de resíduos tóxicos entre 1949 e 1989, onde ali funcionou um incinerador de lixo.

Da inauguração, em novembro de 2008, até quatro anos atrás, a Praça Victor Civita foi gerida pelo Instituto Abril, entidade da empresa editorial homônima. Desde 2011, a gestão do logradouro foi assumida pela Associação Amigos da Praça Victor Civita, formada pelas empresas Elemidia – que chegou a pertencer ao Grupo Abril –, Sabesp, além da editora Abril. A diretora presidente da associação Meire Fidelis confirmou, por telefone ao blog, o fim do termo de cooperação entre a entidade e a Prefeitura.

“Embora todas as atividades oferecidas venham de forma graciosa, manter uma estrutura com tantas particularidades exige tratamento diferenciado, o que custa alguns milhares de reais por mês”, justificou a associação, em nota. “Seria de se estranhar se a crise que o país enfrenta não nos atingisse. Perdermos empresas parceiras mantenedoras e outras não aderiram ao projeto.” A associação não informou, entretanto, o valor médio necessário para a manutenção da área verde.

A reportagem do blog visitou a praça na quarta (30) e constatou que todos os equipamentos erguidos pela parceria devem ser entregues em boas condições. No coração da área verde, o antigo prédio do incinerador, onde funcionava o Museu Aberto da Sustentabilidade, entretanto, estava fechado. Perguntada, uma funcionária disse que o imóvel estava vazio “porque a praça está sendo desativada”.

Em nota, a Prefeitura informou que o termo de cooperação foi extinto porque “a empresa responsável revogou o termo”. “A partir do ano que vem, a subprefeitura (de Pinheiros) retoma a responsabilidade pela manutenção da praça até um novo termo ser firmado”.

De acordo com a Prefeitura, a despeito da crise financeira, aumentou o número de áreas verdes adotadas pela iniciativa privada. No fim de 2014, eram 140; atualmente são 520.

Foto: Alex Silva/ Estadão

Foto: Alex Silva/ Estadão

CRONOLOGIA

1949 – O espaço onde hoje é a Praça Victor Civita abrigava o Incinerador Pinheiros. Até seu fechamento, quatro décadas depois, calcula-se que cerca de 200 toneladas de lixo tenham sido queimadas diariamente e eliminadas de sua chaminé.

2001 – Prefeitura e Grupo Abril assinam um protocolo de intenções, ponto de partida para o projeto da praça.

2002 – Cetesb faz análise do solo e do prédio e confirma a presença de resíduos tóxicos.

2006 – Sob coordenação da Emurb e da Subprefeitura de Pinheiros, começam os trabalhos de recuperação da área. As cooperativas de reciclagem que ocupavam o terreno são retiradas.

2007 – Grupo Abril e Prefeitura assinam documento que cria a Praça Victor Civita. O nome é uma homenagem ao fundador do Grupo Abril, nascido em 1907 e morto em 1990.

2008 – Depois de uma reforma completa no prédio do incinerador, colocação de terra limpa no terreno e instalação de deck de madeira e jardim suspenso, a praça foi aberta em novembro de 2008.