A poesia concreta, de metrô
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A poesia concreta, de metrô

Edison Veiga

17 de setembro de 2013 | 00h01

DO FUNDO DO BAÚ

FOTO: GERMAN LORCA/ DIVULGAÇÃO

Dez anos após sua morte, o poeta Haroldo de Campos é lembrado com uma exposição em duas estações do Metrô. Com curadoria de Julio Mendonça, as instalações mostram o itinerário do poeta por meio de 24 poemas: há trechos de obras consagradas, como ‘Galáxias’. O espetáculo ‘Galáxia Haroldo’ – realizado em 2003 no Tuca e gravado pela TV Cultura, com participações de artistas como Caetano Veloso e Arnaldo Antunes – é exibido na íntegra, em espaços multimídia. Também estão expostos seis retratos do poeta, assinados pelo fotógrafo German Lorca (como o que ilustra esta nota).

Metrô Paraíso. Metrô Corinthians-Itaquera. Grátis. Até 30/9.

Publicado originalmente na edição impressa do Estadão, coluna ‘Paulistices’, dia 13 de setembro de 2013

Tem Twitter? Siga o blog