As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

70% dos síndicos acabam reeleitos em SP

Levantamento mostra que assembleias em condomínios costumam manter a gestão

Edison Veiga

16 de janeiro de 2016 | 19h40

Foto: Tiago Queiroz/ Estadão

Foto: Tiago Queiroz/ Estadão


_____________________
Paulistices no Facebook: curta!
E também no Twitter: siga!
_____________________

Um terço dos condomínios residenciais de São Paulo realiza assembleias ordinárias para eleger síndico e corpo diretivo no primeiro trimestre do ano. De acordo com levantamento realizado pela administradora Lello, 70% dessas reuniões acabam reelegendo o síndico.

O dado revela que a preferência ainda é pela continuidade da gestão – seja por aprovação do trabalho, seja por falta de novos candidatos. Entretanto, tal número já foi maior: na década passada, a permanência do mesmo síndico era chancelada em 90% das assembleias, aponta a administradora. De acordo com a gerente de relacionamento com o cliente da empresa e blogueira do Estado Angélica Arbex, isso mostra que hoje há uma maior preocupação dos moradores com a administração do prédio.

“Há cerca de 20 anos, administrar um condomínio resumia-se simplesmente em gerir as finanças e funcionários. Hoje, dado, à complexidade dos empreendimentos modernos, onde há verdadeiros clubes e, em alguns casos, populações maiores dos que cidades do interior de São Paulo, o síndico é uma pessoa multidisciplinar, atua e transita por diversas áreas, desde de pequenos palpites de engenharia até conciliar conflitos entre vizinhos”, comenta Angélica.

Tudo o que sabemos sobre:

ComportamentoHabitaçãoSão Paulo